domingo, 14 de setembro de 2008

A lei da reciprocidade

Considero-me uma daquelas pessoas para quem a lógica da reciprocidade representa bastante. Acho que a conceptualização das interacções quando é pontuada por uns pozinhos de raciocínio empático é, potencialmente, muito mais justa e apaziguadora. Há dias não deixei de ficar revoltado quando o Estado deste nosso cantinho nos escreveu uma carta a dizer que, no âmbito do processo de devolução do IRS, não receberíamos os 11 euros e pouco a que normalmente teríamos direito, uma vez que tal valor não ultrapassa um limiar qualquer definido vá-se lá saber por quem… Associando uma leitura baseada no rigor à óptica da reciprocidade, aceitam-se sugestões sobre o que é que podemos exigir ao Estado ou o que é que podemos danificar que perfaça o valor que não nos foi devolvido…

Sem comentários: