quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Nostalgia(s)

Uma passagem fortuita por um blog de uma antiga colega de liceu (http://www.ver-de-agua.blogspot.com/) fez-me ter vontade de colocar três músicas que fizeram parte da minha banda sonora do secundário, no mítico Dom Dinis... e que me fazem ter alguma nostalgia do 10º, 11º, 12º e 13º...



Nick Cave & The Bad Seeds "In to my arms"


Morphine "You speak my language"

Pixies "Where is my mind"

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Últimas compras...

Johny Cash - The Essential of Johny Cash
Herbie Hancock - River
Bobo Stenson - Selected Recordings
Coleman Hawkins - Coleman Hawkins plays the blues

Samuel, queria comprar algo do Gregory Hoskins, que ouvi no teu blog, mas não consegui. Pelo menos na FNAC...

Ilusão!

Fantástico! A TVI está repetir o Muppet Show, vulgo, Os Marretas!... Que saudades!

Desilusão...

Gaita... afinal é uma entrevista da Constança Cunha e Sá à Manuela Ferreira Leite. Parecia mesmo...

terça-feira, 14 de outubro de 2008

You now entering in the Twilight Zone...

Há dias entrei no hipemercado e dei com Nick Cave como música de fundo... Depois de procurar pessoas com quatro pernas, extraterrestres ou outros seres que preenchiam os geniais episódios da Twilight Zone, prossegui as minhas comprinhas, tentando evitar um ataque de pânico... Há realmente coisas que não combinam... Qualquer dia inventam uma ópera realizada pela Ana Malhoa... (Os leitores do sexo masculino que se controlem...)

Separados à nascença... (II)

A reedição de um velho clássico: Richard Gere e o mítico Jorge Jesus...


Estamos fodidos... (II)

Não resisto a relatar outra...

"As Monumentais são lixadas... Só de pensar em subir aquilo todos os dias, passo-me... Vou mesmo ter de arranjar uma casa na Alta porque senão não vou aguentar ir às aulas todos os dias..."

A shooting squad, please.

Estamos fodidos...

Uma tarde na fila das matrículas da Universidade de Coimbra constituiu-se como um óptimo contexto laboratorial para a observação da geração que agora inicia os seus estudos superiores... A conclusão deste esforço empírico é simplesmente esta: estamos totalmente fodidos! A colecção de pérolas e aselhices que a criançada foi proferindo foi de tal ordem que enchia este blog durante uns meses... Aqui fica a minha preferida:

"Escolhi uma cadeira chamada Temas do Feminismo Contemporâneo (ou algo do género)... Curto bué o feminismo... Fiz um trabalho no 12º ano. É bué de fixe. Tipo a emancipação da mulher... Elas estiveram presas... tipo fizeram greves de fome... É isto o feminismo..."

Shotgun, please.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Inconsistências verbais

As pequenas inconsistências e particularidades da língua portuguesa despertam em mim um profundo interesse... Voltando ao post anterior, a frase proferida pelo jovem da AAC não faz sentido nenhum... Explico, pensando num soquete do Gato Fedorento que abordou uma problemática semelhante, ou o puto me dizia "és caloiro, pá?", usufruindo de um potencial estatuto de superioridade académica, ou então não me perguntava nada... Se eu tivesse respondido sim, a única hipótese seria uma dramática, porventura cómica, sequência comunicacional... ~
Jovem da AAC - "O senhor é caloiro?..."
Gajo de barba, com uma barrifa indomável, com um ar quase trintão - "Sim..."
Jovem da AAC - "Ah é? Piolho insignificante!... RASTEJA CALOIRO!..."

Há que ter cuidado, senhor jovem da AAC...

Duas coisas com graça ou a prova inequívoca do avanço do tempo

Hoje, na reedição de um velho clássico do cinema de terror "Executar uma matrícula na Universidade de Coimbra", tive hipótese de passar por dois momentos únicos... Primeiro, o senhor da CGD, na primeira pergunta que me dirigiu, questionou-me se eu estava a fazer o meu segundo curso (tipo aqueles velhinhos que se põem a tirar Direito com 73 anos, quando o Alzheimer se instala...); segundo, o jovem da banca da Associação Académica, encarregue da distribuição do kit do caloiro, com um olhar de dúvida e apreensão, "o senhor é caloiro?...". Definitivamente, o tempo não volta para trás.

Um dos meus lemas actuais

Não deixes para amanhã aquilo que podes fazer hoje... Até porque, provavelmente, vais-te esquecer...

domingo, 5 de outubro de 2008

Quem terá proferido, nos últimos dias, e com uma expressão a condizer, a seguinte frase "não é todos os dias que podemos ter, a menos de um metro dos nossos sapatos, vinte mulheres bonitas..."?
a) Mário Jardel
b) Hugh Heffner
c) Cavaco Silva
d) Carlos Cruz