segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Duas coisas com graça ou a prova inequívoca do avanço do tempo

Hoje, na reedição de um velho clássico do cinema de terror "Executar uma matrícula na Universidade de Coimbra", tive hipótese de passar por dois momentos únicos... Primeiro, o senhor da CGD, na primeira pergunta que me dirigiu, questionou-me se eu estava a fazer o meu segundo curso (tipo aqueles velhinhos que se põem a tirar Direito com 73 anos, quando o Alzheimer se instala...); segundo, o jovem da banca da Associação Académica, encarregue da distribuição do kit do caloiro, com um olhar de dúvida e apreensão, "o senhor é caloiro?...". Definitivamente, o tempo não volta para trás.

2 comentários:

Manuela Cunha disse...

Também eu ando nestas andanças...e definitivamente já não tenho paciência para filas...já no passado não tinha e trocava-as pelos finos na esplanada do Académico...
Agora cada vez que ouço a "caloirada" a berrar só me apetece berrar ainda mais e mandar calar toda a gente!!!
E comer nas cantinas? Adorei voltar às ementas de arroz com gorgulho e fritos em óleo de 1oª geração!!!
É fabuloso!!! Principalmente saber que nos próximos anos vou ter novamente desconto no cinema!! Yupi!!!

Filipe Fernandes disse...

Podes crer... A minha estada nas filas de matrícula foi tão agradável como a ideia de urtigas em partes privadas. A cena do cinema é bem fixe... Tipo ter cartão jovem fora de tempo! Bjs