terça-feira, 29 de dezembro de 2009

A pergunta era...

..."Como são os vossos sonhos para o vosso bebé?" A resposta foi:

Resumir os meus sonhos para a Mariana é, por paradoxal que possa parecer, fácil… Numa palavra, apenas: ”fzinhac”. Ou seja, não sei. Atenção… não que não tenha ideias, desejos, rumos idealizados para ela. Mas, sinto que o futuro dela será aquilo que ela quiser, aquilo que ela sonhar e, porque não, aquilo que ela conseguir. Sempre com o máximo apoio daqueles que lhe querem bem… Daqueles que querem que “fzinhac” signifique uma conjugação de coisas doces e bonitas e que confiam, desde o primeiro instante, naquilo que a Mariana desejará, sonhará e conseguirá para o seu futuro.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Se me dizes que és do Benfica... Arranjas uma chatice!

Há uns tempos, neste mesmo pasquim cibernético, partilhei com vossemecês as minhas dúvidas quanto às minhas capacidades para converter uma princesa à causa da Académica... Como uma tatuagem me pareceu altamente abusiva, atendendo às duas semanas da Mariana, socorri-me de uma das maiores invenções da Humanidade: o merchandising desportivo...

O maior espectáculo do mundo!

Sempre achei que o futebol é o maior espectáculo do mundo. Sempre me irritou que os admiradores do circo procurassem usurpar esse título que, inequivocamente, na minha visão, pertence ao desporto-rei. É verdade que o meu fascínio pelo circo, pelo menos com o ideal primário de circo com que somos confrontados, durou não mais que um par de anos, ainda na louca década de oitenta. Mas, fundamentalmente, entendo que o futebol possui características que o tornam único. A emoção, a forma como as pessoas se despersonalizam na sua presença, como se conectam a uma certa irracionalidade, é um bom exemplo disso e que, pela sua intensidade e carácter popular*, o distinguem de outras modalidades. No entanto, observar com atenção um jogo do Sporting de fio a pavio, faz-me desejar uma aparição televisiva do azeiteiro do Vítor Hugo Cardinali, dos “seus” leões e do seu chicote e temer o próximo jogo de senhores que equipem de verde orientados por treinadores de saldo.

* Que muitas mentes iluminadas, carregadas de um preconceito elitista pacóvio, confundem com popularucho e, por conseguinte, pouco digno da sua atenção.

Um país politraumarizado?

É impressão minha ou o País pode não sobreviver ao politraumatismo que se avizinha?... É que são tantas, e de vária ordem, as causas fracturantes que o poderão acometer nos próximos tempos que temo pela sua integridade física… Será que já não há respeito pelos mais fracos?...*


* Obviamente que este post é uma tentativa fraquinha de gerir com humor a conjuntura política actual do nosso cantinho português. No entanto, se quisesse falar mais a sério, apetecer-me-ia discorrer sobre a forma como os últimos tempos têm demonstrado, cabalmente, a qualidade dos actores políticos portugueses. O facto de na conjuntura sócio-económica corrente, tão dolorosa a tantos portugueses, os partidos se envolverem em tantas querelas que canibalizam o ideal democrático, explorando e, até, reanimando um número de causas fracturantes inversamente proporcional ao número de neurónios que habitam no cérebro do Fábio Coentrão, torna evidente uma inversão perversa de prioridades. Que já não surpreende, nem chateia, nem incomoda ninguém. E é nesta indiferença (cada vez mais) instalada, neste distanciamento que reside o principal perigo para o nosso edifício social… E a pergunta que me invade é esta, qual bota-de-elástico saudoso dos tempos idos, onde é que isto vai parar, meus senhores? Onde é que isto vai parar?... E tenho medo da resposta.

Diz que é uma espécie de deputado... Carlos Peixoto

Seguindo a lógica de pensamento (utilizando uma figura de estilo, a hipérbole, na caracterização da actividade mental do visado) de Carlos Peixoto, ilustre deputado do PSD, sobre o casamento homossexual, apetece partilhar das suas inquietações morais. É que qualquer dia, nestes tempos de desventura moral, isto chega a um ponto tal em que a lei permite coisas tão improváveis como o enlace matrimonial entre pessoas “normais” e seres chamados Carlos Peixoto que assentem o traseiro no parlamento português na bancada do PSD…

* O que será que Maria José Nogueira Pinto, colega de bancada** parlamentar do Carlos Peixoto, terá a dizer sobre as declarações do seu colega de partido?...

** Nunca tinha pensado o quão adequada é a palavra bancada***, quando aplicada ao local onde se posicionam os deputados.

*** Bancada: s. f. Conjunto de pessoas que se sentam numa bancada... (E que não se sentem na obrigação de fazer muito mais do que isso).

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Enviesamento parental

Bem sei que os "manuais de instruções"* dos bebés referem que o sorriso surge muito mais tarde do que os onze dias da Mariana... No entanto, eu sublinho que a Mariana emite rasgados sorrisos** várias vezes aos dia, que em muito contentam os seus progenitores! Tenho dito.

* Livros escritos por pediatras que abundam nas livrarias.
** Na verdade, são esgares que surgem, por exemplo, quando ela liberta um ou outro gás. O chamado "punzinho"... Mas é muito mais giro pensar que ela está a sorrir para aqueles que lhe querem bem.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Dão-se alvíssaras...

... a quem me ajudar a tirar esta música irritante da cabeça. De manhã à noite dou por mim a trautear que "no Pingo Doce é bem melhor" e que é tudo "mais fresquinho" ou lá o que é! E, quiçá de forma paradoxal, tenho vontade de gastar dinheiro em todas as grandes superfícies, menos no Pingo Doce (sou só eu que sempre achou o nome estúpido?...). Comparável, na escala de lapa mental, só o jingle do mítico Supermercado Guarita *...




* Supermercado terceirense com um anúncio radiofónico único... Os seguidores da Terceira percebem o que digo até porque, mal leram Guarita, lhes começou, de forma imediata e incontrolável, a martelar nas mentes as palavras sussurradas "qualidade", "economia", "GUARITAAAA".

sábado, 12 de dezembro de 2009

Prémio Nobel

Pensará o atento leitor que, atendendo à atribuição recente dos Prémios Nobel, o título do presente post preconiza uma aturada análise crítica da justeza da consagração de Barack Obama como Prémio Nobel da Paz, com intrincados raciocínios geo-políticos alicerçados numa opinião pessoal e fundamentada... Se assim é, devo referir que, antes de mais, padece de um qualquer distúrbio que o leva a sobrevalorizar as capacidades deste escriba, que, em segundo lugar, concerteza, não leu a maior colecção de futilidades e disparates constantes na Internet da autoria do mesmo (constantes em http://www.geometriasvariaveis.blogspot.com/...) e que, por fim, efectivamente, o post é sobre este senhor...




Presumo que ninguém saiba quem é este senhor de aspecto simpático... Chama-se Mário Cordeiro e no seu cartão de visita deverá constar a palavra "Pediatra". Mais do que isso, é autor de uma bíblia nacional para seres humanos que experimentaram/experimentarão as delícias/sevícias resultantes do nascimento de uma pequena máquina de cólicas, choros e sons corporais acabados em "inho" que, comummente, se designa como "bebé".

Efectivamente, o Grande Livro do Bebé, ao contrário do que é habitual nas publicações que ostentam títulos com a palavra "grande", não padece de um distúrbio narcísico... É mesmo "grande" em todos os sentidos... E uma ajuda enorme quando os novéis pais padecem de pequeninos surtos do foro obsessivo-compulsivo...

Por tudo isto, a atribuição do Prémio Nobel ao Obama é de somenos importância. Relevante, e verdadeiramente justo, é exigir a atribuição do Prémio Nobel da Paz 2010 ao profeta Mário Cordeiro, pela forma como o seu livro pacifica os anseios, o sentimento de impotência e tumultos interiores de jovens pais (quasi e por vezes) à beira do desespero!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Inimigo número 1

Três dias de paternidade permitiram-me identificar a minha próxima arqui-inimiga*... A Temível Cólica Intestinal em Bébés. Essa entidade responsável por choros, aparentemente, incompreensíveis que induzem um aumento dos níveis de impotência parental até aos píncaros do desespero. Mas prepara-te Temível Cólica Intestinal em Bébés. Nós estamos a começar a aprender as tuas manhas e iremos neutralizar o teu efeito dentro de pouco, pouco tempo. Be afraid!

* Termo que me remete para os livros da Disney em que havia arqui-inimigos a rodos.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A teoria da relatividade das coisas by psilipe

Nasceu a Mariana... Veio antes do tempo mas no momento que lhe pareceu melhor, no momento em que achou que era altura de melhorar o nosso mundo. E acertou os seus intentos... E é impressionante como três quilos cento e noventa gramas de Mariana nos ensinam, instantaneamente, que tudo aquilo que nos aconteceu, que nos apoquentou, que nos inquietou, que nos fez rir, que nos fez chorar, que nos fez perder o sono, tem um valor muito, muito relativo... Tem o valor que tem... E que tudo isso somado não chega aos calcanhares da princesa que está aqui abaixo...

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Global...

Bem sei que é ruim (ora aí está mais uma palavra que aprecio) arrancar gargalhadas dos males de outros seres humanos... No entanto, sei que é uma obrigação, nos dias de hoje, afrontar o fenómeno da globalização, apredendo a lidar com todas as suas inerências. Por isso, aqui fica este vídeo que é "global"mente engraçado...

Nó cego...

Foto captada no Expresso das Ilhas numa viagem Terceira-Faial, em 2007.


...ou como é bom conseguir desatá-lo(s)!

Run for your life!



Fujam, fujam dos velhos do Restelo*, das pessoas que nos incutem pessimismo e descrença... Ou, pelo menos, fujam das sensações que nos despertam, uma vez que nem sempre é possível criar, e manter, a "distância de segurança" ideal e protectora. E a melhor maneira de o fazer é ter bem presente a amargura que nos fica quando não evitamos/evitávamos assumir esse papel (demasiado) secundário.

* Como seria bom que estes "velhos do Restelo" só existissem nesta caricatura genial dos Muppets, do malogrado Jim Henson**.

** Que, por sinal, é uma das personalidades que eu mais gostava de ter conhecido.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

"Wait in the fire... Wait in the fire..."



Grace, Jeff Buckley

There's the moon asking to stay
Long enough for the clouds to fly me away
Well it's my time coming, i'm not afraid to die
My fading voice sings of love,
But she cries to the clicking of time
Of time

Wait in the fire

Wait in the fire

Wait in the fire...

And she weeps on my arm
Walking to the bright lights in sorrow
Oh drink a bit of wine we both might go tomorrow
Oh my love
And the rain is falling and i believe
My time has come
It reminds me of the pain
I might leave
Leave behind

Wait in the fire

Wait in the fire

Wait in the fire

Fire...

And I feel them drown my name
So easy to know and forget with this kiss
I'm not afraid to go but it goes so slow

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Devaneio (minimamente) consciente

Hoje não tenho nada em concreto para discorrer por aqui. Mas apetece-me deixar aqui qualquer coisa. Não que o dia não tenha sido cheio, à semelhança dos últimos tempos, diga-se. Houve emoções desalinhadas, houve cognições ameaçadoras, houve acções, comportamentos. Nem todas acertadas, nem todas adequadas e proporcionadas à situações. Houve negociações pseudo-políticas, houve congeminações alicerçadas no temor do fim de projectos consolidados, houve sorrisos e olhares cúmplices. Houve compreensão, houve amizade, houve espírito de grupo, mesmo havendo lacunas na solidez das muralhas construídas. Houve preocupação com o outro, houve capacidade de ver além do simples comportamento expresso e aparente. Houve receio do dia seguinte. Houve medo da espera. Houve medo do presente e do futuro. Houve medo da responsabilidade e da culpa. Também houve corropio, canetas atiradas de janelas por petizes adolescentes em direcção a transeuntes inocentes, risos incontroláveis e inexplicáveis de pessoas de quem começamos a gostar muito, esperança e confiança em tudo o que está para vir, até no dia de amanhã. E no outro... E no seguinte... E, se calhar, em todos os outros que se seguirão. No fundo, porventura, confiança em todas (mesmo todas!) as pessoas que são peças do nosso puzzle, hoje. São essas que tornam menos ameaçadora o eventual surgimento de outras peças descoloridas, sejam elas quais forem... São elas que, no fundo, nos ajudam a "alavancar" o dia de amanhã. Até amanhã.

Uma sugestão de Natal

Nos tempos de hoje, em que o Natal perdeu muito do seu verdadeiro sentido, deixo uma sugestão de um site que, com pouco esforço e dinheiro, nos permite que sejamos verdadeiramente natalícios...

Kiva - Loans that change lives

É muito, muito interessante, constituindo uma óptima iniciativa de inovação social ancorada na Internet.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Waiting room

psilipe ou o desespero de ter a vida transformada numa sala de espera...


Tolice popular...

Manifesto, regularmente, um grande apreço pela sabedoria popular. Há provérbios, expressões coloquiais e dizeres que passam de geração para geração e que encerram, numa aparente e enganadora simplicidade, significados e sentidos muito poderosos e acertados... No entanto, garanto que a cena do "longe da vista, longe do coração" é treta! E das grandes...

GPS interior

É impressionante o quanto as pessoas se perdem em si mesmas e o quanto perdem nesse processo... Como daria jeito um GPS interior que as guiasse. Mas será que todas o aceitariam, de forma descomplexada? Ou será que muitas não optariam pela ostentação de um sorriso acrítico no seu glorioso caminho para o precipício?

sábado, 21 de novembro de 2009

Barómetro GV

Segundo o último Barómetro GV, que analisa o grau de evolução dos estados com base na tipologia das pessoas que procuram corromper as suas altas individualidades, Portugal está num dos últimos lugares. O facto de um sucateiro conseguir colocar o país à beira de um ataque de nervos em muito contribuiu para tal classificação.

Diálogos socráticos I

Será que ainda há primos do nosso Primeiro que não estejam, ou que não tenham estado, envolvidos em processos que envolvam a palavra "corrupção"?...

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

As time goes by...

Apercebi-me hoje que o Monopólio, jogo que marca o meu imaginário infantil, sofreu algumas alterações que são, para mim, autênticas mutações genéticas... Não é que, na versão que vi hoje:

- os petizes utilizam cartões de crédito no lugar daquelas notas fantásticas de cores variadas (em que os cinco contos eram um marco, com a sua cor bordeaux);

- os cartões são colocados num aparelho que os lê automaticamente, substituindo o banco;

- a propriedade mais cara custa quatro milhões de euros substituindo o Rossio, última casa antes da casa de partida, que representava um investimento de quatro contos de reis.

E percebi que a inflacção do valor das propriedades é, quase, quase, directamente proporcional ao tempo que decorreu desde os tempos em que as minhas tardes eram passadas a comprar a Rua do Carmo, a Estação de Campanhã e consultar a minha "sorte" numa pilha de cartõezinhos. E senti-me velho...

The king is back!

Os leitores mais atentos das GV lembrar-se-ão da saga das gaffes de psilipe, clássico blogosférico de incomensurável importância. O bom senso, e a vergonha decorrente da exposição pública de tais calinadas, deveria ter impelido o seu autor a um maior cuidado na forma como se relaciona com os demais... Mas, atendendo a que a personagem em questão é fraquinha, não foi isso que aconteceu. E, assim sendo, aqui fica mais uma exibição tragicómica de psilipe...

Psilipe realiza uma apresentação num local em que se encontra o Sr. Bispo de Angra e dos Açores... Psilipe expõe os seus pontos de vista, quando o senhor arrasta uma mesa, inadvertidamente, causando algum barulho...

Sr. Bispo - Desculpe...
Psilipe - Não se preocupe, está perdoado!...
Psilipe (em pensamento) - Acabaste de dizer que perdoaste um dos emissários terrenos de Nosso Senhor que, por sua vez, tem o monopólio do "Perdão"...

Sim... O Reino dos Céus está mais longe.

...

domingo, 15 de novembro de 2009

Conclusão do dia...

Há, efectivamente, momentos em que mais vale caír em graça do que ser engraçado... E a grande C* faz-nos sentir isso muito, mesmo muito. E tem razão.

* Há leitores frequentes que perceberão a ideia.

Vamos fazer um jogo...

Atendendo a que o André Villas Boas permaneceu na Académica e que o Carlos Carvalhal será o próximo treinador do Sporting, é impressão minha ou saíu cócó ao Sporting e não à Académica?...

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Quero o meu fim-de-semana de volta...

E faltam 1, 2, 3, 4, 5 dias* para o próximo fim-de-semana. Porra!

* Alguns dos quais estão para o interessante como o Jorge Jesus para o bom gosto capilar.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Dois apontamentos paroquiais

Já alguém reparou que:

1 - é genial que um padre detido por posse ilegal de armas tenha como apelido "Guerra";

2 - esta história parece encomendada pelo Saramago. Embrulha, Mário David!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Há quem chame a isto estúpido... Eu acho engraçado!

Para que conste...

...a partir de hoje exijo ser tratado por "Ti Psilipe"! *

* Não, não estou a ficar senil, nem convencido que sou um idoso de uma qualquer aldeia/freguesia. Simplesmente nasceu a minha primeira sobrinha e estou a adorar a ideia.

domingo, 18 de outubro de 2009

Pay respect to the master!

Segundo o Facebook sou mais inteligente do que 99,2% da população mundial! Finalmente um instrumento científico válido, fiável e fidedigno que demonstra o meu valor! Obrigado senhor que, há uns anos atrás, criou uma página na internet para que as pessoas do seu dormitório se conhecessem e que a transformou naquilo que, hoje, é o Facebook...

sábado, 17 de outubro de 2009

The point of no return

Pois... Nada é igual depois de fazer parte integrante de uma reunião de pais que, ponto 1, não é convocada por nós e, ponto 2, em que nos tratam por "futuro pai"... Como se a estranha sensação de caos interior não fosse suficiente, percebi que um dos meus futuros colegas da reunião de pais usa os óculos escuros na nuca. Quem é que vai a uma reunião de pais sem tirar os óculos escuros da nuca? É com ele que farei equipa na "gincana de pais"*?

* E a questão do dia é: o que raio é uma gincana de pais em que terei de participar, sob pena de ao meu rebento ser desprezada pelas educadoras por ser descendente daquele que nunca entra na "gincana de pais". Será que não dá para pagar a ninguém para ir a estas tretas por mim? Onde é que está um gémeo ou clone quando é necessário?... A gincana dos pais, insisto, seja lá isso o que for, é um argumento inquestionável para a prossecução das investigações sobre clonagem! Exijo um segundo psilipe para esta treta!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

É verdade, sim senhor! *


* O que não significa que tenha que acontecer tanto...
** Indecentemente furtado de um dos melhores blogues que frequento: www.ver-de-agua.blogspot.com. Obrigado, Guilhim.

Deus nos livre...

...das personalizações excessivas daqueles que nos rodeiam.

domingo, 11 de outubro de 2009

A grande questão da noite eleitoral na Ilha Terceira é...

...conseguirá este senhor, candidato à Junta de Freguesia da Ribeirinha, colocar a palavra "autarca" no seu cartão de visita?



Sr. Fernando (quasi-Presidente da Junta da Ribeirinha)

Creepy...

Não sei se terei sido o único a reparar mas o PS atinge um assustador quarto lugar nas eleições para a Câmara do Funchal. Democr... Dem... Craci... Chiça! É difícil pronunciar o vocábulo "democracia" em madeirense. Tentem, se quiserem. Mas, se estiverem no Funchal, com um tom de voz baixinho, baixinho... Há quem não goste dessas modernices do continente, desse rectângulo infame.

E uma das questões da noite é...

...foi esta a última vida de Santana Lopes? Faltará muito para o Game Over. Ou, em alternativa, será que se tornará num dinossauro-eterno-candidato-eleitoral-em-segundo-lugar? Já agora, atendendo à recente consagração legal da limitação de mandatos dos autarcas, será que, com o eventual exemplo PSL, será instaurado uma limitação para eternos candidatos?...*

* O que lixaria, naturalmente, Garcia Pereira.

Dúvida em noite eleitoral

Se as eleições fossem um campeonato de futebol, e atendendo a que nunca há derrotados, nem vencidos, como é que se apuraria o campeão, as equipas com direito à participação nas competições europeias e as equipas que teriam de descer ao escalão inferior?... Por moeda ao ar ou pela análise racional e objectiva de factos?... Moeda ao ar, quer-me parecer.

Ainda há coisas que fazem sentido...

Numa reportagem televisiva é referido que entre a sede de campanha de Avelino Ferreira Torres (o todo-o-terreno) e a do seu adversário (previsível vencedor) está o edifício do tribunal de Marco de Canaveses... Esta coisa dos simbolismos, por vezes, faz o seu sentido.

Catarse em dez episódios*

* Thanks ao Z.P. pelo empréstimo.

sábado, 10 de outubro de 2009

Como seria de supor...

...pelo quarto ano consecutivo, a Universidade de Coimbra foi considerada a melhor instituição de Ensino Superior de Portugal pelo The Times Higher Education Supplement. É uma notícia fixe!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Na cozinha com Psilipe...

Tenho uma quasi-relação de amor-ódio com tudo o que remete para culinária... Adoro refastelar-me com um belo repasto, bem confeccionado (principalmente pelas minhas chefes de cozinha preferidas...), em boa companhia. Chateia-me mais, revolta-me, até, a minha incapacidade visceral para conseguir realizar uma refeição que possa apresentar a outros seres que não sejam animais de companhia esfomeados*. Não que não goste, uma vez que até acho o acto de cozinhar, o processo de contribuir para a confecção dos alimentos, um acto particularmente relaxante, especialmente em boa companhia humana e musical. Mas, efectivamente, quando distribuíram tal talento eu devia estar distraído, mesmo muito distraído, uma vez que é dificílimo para mim conseguir ter uma relação tranquila e profícua com a cozinha.

No entanto, apesar de ter que constatar uma certa pressão resultante da minha condição recente de ermita**, tenho feito um esforço por utilizar utensílios de cozinha que, normalmente, só passam pelas minhas mãos para os colocar ou retirar da máquina de lavar. E, eis senão quando, decidi criar um projecto gastronómico: irei, a curto prazo, realizar uma refeição de cannelonni.***


Dá-me a ideia que me vou arrepender, mas...

* Se bem que, pensando bem, o saudoso Nicolau, caprichoso como era, dificilmente comeria coisas cozinhadas por mim.

** Frequentemente, e felizmente, interrompida por muitos convites para jantar... :)

*** Algo que, após seis meses em Itália, infelizmente não aprendi a dominar e que nunca realizei nos vinte oito anos que levo à face da Terra.

Passatempo das GV

Rui Rio é:

a) uma besta;
b) uma besta;
c) uma besta.

Efeméride

5 de Outubro de 2005 - 5 de Outubro de 2009... psilipe há quatro anos na Ilha Terceira! Quando ouvirem dizer que o tempo voa acreditem! Acreditem!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Há coisas fantásticas, não há?!

Há! E uma delas é falar com uma pessoa com quem pouco falamos desde há quatro anos como se a tivéssemos visto ontem... E quando a conversa inclui as palavras "maganórios" e "trompeteiros" melhora ainda mais! Beijinhos para a S..

O enjoo invade-me...

Os debates eleitorais começam a despertar em mim as mesmas sensações viscerais do que uma viagem inter-ilhas nos Açores com o mar picado... Ou seja, um profundo enjoo.

domingo, 4 de outubro de 2009

Sotaque marafado

Fui só eu que reparei que, quando verbaliza termos relacionados com informática como "imeile", vem ao de cima o sotaque algarvio/marafado do nosso Presidente da República?... Expliquem ao senhor que ele pode dizer, em vez de "imeile", o termo correio electrónico ou, em alternativa, "mail". Seria uma maneira fácil de resolver esta incompatibilidade do senhor com o léxico informático.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Os limites do ser humano...

O ser humano é, por definição, marcado por uma série de limites... Cada um de nós tem os seus. Um dos meus calcanhares de Aquiles é a dificuldade que tenho em não rir quando me confronto com uma situação qualquer que ache estranha, engraçada ou invulgar. Mesmo que seja o único a reparar num pormenor ou frase.

Hoje, numa acção de formação que dinamizei, aconteceu uma situação que testou, em muito, os meus limites... Num exercício sobre liderança, um dos meus formandos lança a seguinte pérola:

"Acho que o Cavaco Silva é um bom líder porque é muito comunicativo e claro quando fala às pessoas!"

Dasse.

Oba!... As GV são um blogue maneiro!

Quis a Guilhim, cujo estaminé está aqui, conceder-me uma distinta honraria: o prémio "Olha que blog maneiro", que muito honram as GV, ainda para mais vindo de um "estmaniné" onde vou várias vezes e de que gosto muito.

Mandam as regras que, para aceitar devidamente a distinção, se sigam algumas regras:

1. exibir a imagem do selo
Está devidamente colocado ali ao lado!

2. postar o link do blogue que os escolheu
Está ali ao lado --> Ver(de)Agua

3. indicar outros blogues
Esta parte é lixada, até porque não faz sentido distinguir blogues que já foram distinguidos. Por isso destaco um:

- o blog do andrebenjamim

4. avisar os blogues escolhidos
Será feito!

5. publicar as regras
Eccolequa!

6. conferir se passaram o selo e as regras
Oh yeah.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A beleza dos sufrágios

Em mais uma demonstração de serviço público, as GV tentaram obter uma reacção dos cabças-de-lista dos seis partidos mais votados nas eleições legislativas. Pois... tentaram, porque não conseguiram. Eis as diferentes razões:

- José Sócrates encontrava-se a admirar-se ao espelho há já várias horas;

- Manuela Ferreira Leite (depois de me congratular por, finalmente, ter percebido o significado do matrimónio com a chegada da Mariana) declinou o convite, uma vez que não queria ter a linha ocupada... É que Santana Lopes poderia ligar. É que a líder do PSD já tinha tentado contactar variadíssimas vezes PSL para agendar acções de campanha e, aparentemente, o telefone tocava, tocava...;

- Paulo Portas tem-se masturbado continuamente desde Domingo pelo que achei pouco interessante contactar com ele;

- Francisco Louçã estava, há várias horas, a espetar agulhas num pequeno boneco semelhante a um certo líder de direita;

- Garcia Pereira escusou-se, uma vez que estava em pleno exercício orçamental do custo de uma revolução armada. Isto de começar a receber subvenção do Estado permite outros voos;

- Por fim, Jerónimo de Sousa escusou-se, no seu estilo, de forma delicada e afável. Segundo ele "estou a escrever o discurso de vitória das próximas eleições... sabe que, por vezes, deixo a coisa para a última da hora e nem sempre tenho tempo para escrever estes discursos. Estou com um tempito disponível agora e vou já despachar isto. Já fica feito!"

Universidade de Coimbra: regresso a Setembro de 2000

Há uns dias, em mais um episódio da saga* "psilipe em busca de uma certidão de conclusão do Mestrado Integrado na Secretaria Geral da Universidade de Coimbra"**, dei por mim a constatar que, por vezes, as instituições geram e perpetuam, com um sorriso nos lábios, dinâmicas que são a constatação da sua própria ineficácia, do seu enquistamento e da sua falibilidade. Observar, ano após ano, as filas na Secretria Geral, a passividade com que as pessoas as encaram, a forma como não (se) questionam, a postura e limitação das funcionárias, obriga à constatação de uma enorme disparidade entre aquilo que deveria acontecer numa escola de vida, de moldagem de mentes críticas e de desenvolvimento de valores de cidadania e aquilo que, infelizmente, acontece.

* Saga esta, à semelhança de muitaos registos cinematográficos, em que as sequelas vao tornando o conjunto progressivamente pior.

** Que este post não seja entendido como uma cedência àqueles que insistem em manifestar-me, por vezes de forma exuberante, o seu ódio primário contra tudo o que cheire a Coimbra***... Se é assim em Coimbra, imagino em muitas universidades que andam por aí.

*** Coisa que, aliás, nunca entendi.

Campanha eleitoral

Admito que, ao longo da campanha eleitoral, contactar com partidos como o PTP (sim... o partido do tempo de antena do Sr. Rosa e da Sr.ª Laranja), o PNR ou o PPV foi divertido e até hilariante, especialmente para um fanático de tempos de antena e de noites eleitorais como eu. Quando penso que parte do circo foi montado com aquilo que tenho vindo a decontar, acho muito menos piada... Mesmo um nível de piada muito, muito rasteirinho.

Não que concorde inteiramente, mas...

... esta frase tem a sua piada. A páginas tantas, no Fórum da TSF, um ouvinte, destilando ódio contra o BE, referiu: "se uns são a cassete, estes são o DVD!..." Teve a sua graça...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Sensações...

Há muitas sensações boas na vida. Aquelas que sinto quando acabo uma consulta a roçar a perfeição não são as melhores, mas estão no top ten! Ai se estão!

Estou...

...de férias! *

*Ok... é so até Segunda-Feira, tenho quinhentas coisas para pensar do trabalho, tenho que ir a Coimbra e voltar à Terceira neste período, tratar de quinhentas coisas em Coimbra e preparar uma formação para dia 1. Mas, porra, estou de férias!

domingo, 20 de setembro de 2009

Preciso de...

...férias.*

* Ou de um fim-de-semana completo.**
** Ou de semanas de trabalho normais, sem dezenas de horas a mais.

Prós e contras de viver na Terceira #6

Um enorme contra de viver na Ilha de Jesus* é o facto de, também por cá, haver democracia. Assim sendo, e como não é de supor que Ferreira Leite suspenda a democracia nos próximos tempos, ocorrem, e ocorrerão, escrutínios democráticos por terras terceirenses. E pergunta o leitor: será este escriba um pestilento opositor da democracia? Não, precisamente por apreciar a democracia é que se torna dolorosa a convivência com determinados fenómenos. Naturalmente, não sou ingénuo ao ponto de entender que só na Terceira é que as pessoas se candidatam para ter mais dias de férias, para aparecer num cartaz ou para galgarem degraus na ridícula escada para algures. Claro que não. No entanto, a proximidade com tudo isto, e o facto de ter de manter os olhos e ouvidos abertos para poder sobreviver, torna tudo tão evidente, tão pegajoso, tão pornográfico que irrita... E faz-nos perder a inocência em relação a muita, muita coisa!

* Ou na Ilha Terceira ou na Ilha do Ovo Cósmico, consoante as versões.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

E se fossem duas Marianas, o que seria?...

Até tinha graça, se não tivesse acontecido mesmo

Sistema Nacional de Saúde?... Sustentabilidade da Segurança Social? To TGV or not to TGV? E, pergunto eu, para que é que isto tudo interessa?... Depois de observar as acções de campanha de Manuel Moniz (MPT-Açores) e Pedro Marques (MEP-Açores) facilmente se percebe que as prioridades do País são outras. Se não fosse assim, como explicar que o primeiro tenha feito campanha contra o excesso de peso nas mochilas dos miúdos e distribuído mezinhas aos transeuntes ou que o segundo tenha colocado às pessoas a jogar à macaca para explicar o que é a Democracia. Só pode ser isso. Ou então, são só ideias imbecis e uma demonstração cabal da falta de capital humano que pulula nos meandros políticos nacionais.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

"Não gosto do Queiroz... Está muito arrogante!"*

Serão doméstico, Domingo à noite, num certo lar terceirense. Um casal conversa, enquanto, em fundo, se vislumbra o Sporting - Paços de Ferreira no pequeno écran:

Jovem esposa, após um lance mais interessante do encontro: Não consigo compreender porque é que o Carlos Queiroz não dá mais protagonismo ao João Moutinho na selecção portuguesa...**
Jovem marido (em pensamento): Embrulha, Rui Santos! Dá-lhe tempo, dá-lhe tempo!

* Ai está, sim senhor!
** Importa acrescentar que, antes deste comentário, tinha-se ouvido algumas considerações bem apropriadas sobre o cruzamento (tão ou mais interessante do que o cabeceamento do lusitano Liedson) que originou o único golo do Sporting.

Que saudades do Zandinga..

A Liga portuguesa começou há uns tempos, mas aproveito para elencar algumas questões fundamentais que no final do campeonato serão devidamente respondidas. No entanto, tal não significa que não possamos tentar adivinhar...

- Quantos jogadores venderá o Porto por mais de 15 milhões de euros?
- Quem será o próximo jogador brasileiroa aprender o hino nacional?
- Em quantos jogadores o Porto obterá uma margem de lucro superior a 235050%?
- Quantas dezenas de empresários vão lucrar com todos os negócios do Porto?
- Quantas dezenas de milhar de cigarros fumará Rui Costa?
- Quantos jogadores arruinarão a sua carreira após passarem pelo Benfica?
- Quantos cabelos brancos me causará a carreira da Académica?
- Quantas ataques de tédio causará o Rui Santos nas suas análises ao Domingo à noite?
- A quantos jogos resistirá Paulo Bento?
- Quantos restaurantes brasileiros irão à falência com a partida de Rochemback e Celsinho?
- A quantos clubes portugueses se oferecerá Jardel?
- Quantos milhares de euros serão encontrados na mala do carro do presidente da Académica?...

Place your bets! Quem adivinhar ganhará o direito a um jantar a três com o Rui Santos e com o Luís Freitas Lobo...

Então?... Porque é que não tens escrito no blog?

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

É que tens cá uma graça...

Senhor trabalhador do call center da TAP: Vou agora confirmar o seu email, senhor Filipe...
Sr. Filipe: Ok.

Senhor trabalhador do call center da TAP: p de portugal, s de sapato... pronto é filipe mas mal escrito! psilipe, certo?
Sr. "Filipe mal escrito", em pensamento: E se fosses para o c...
Sr. Filipe: Sim. É isso mesmo!

Viva a tropa ou o que seria do mundo sem Internet?

Tal como muitas pessoas por esse mundo fora, este escriba não nutre grande admiração e interesse pela vida militar. Realmente os camuflados militares ou as armas nunca despertaram em mim nenhuma espécie de interesse, ao ponto de a dispensa da inspecção militar ter tido o mesmo significado para mim do que um caso Freepor'* para o PSD, ou seja, uma imensa alegria. No entanto, atendendo a que devemos à tecnologia militar o florescer da Internet, e ao observar a chegada da campanha eleitoral para as autárquicas terceirenses às lides electrónicas, apetece-me declamar uma ode à tropa e a tudo o que esteja camuflado ou remeta para a vida militar. Se não existisse no Homem uma incapacidade primária de não ceder aos instintos mais primários e destrutivos geradora da necessidade de se superar com equipamento adequado, o que seria da Internet? Se não houvesse Internet, como seria possível aceder a estas duas pérolas?... Convido-vos a topar e elencar alguns pormenores: do quasi-autarca que sabe quantos habitantes existem por metro quadrado na freguesia ao outro que acha que o cemitério é o espelho de uma freguesia.




Sr. Fernando (quasi-Presidente da Junta da Ribeirinha)




Sr. Xavier (quasi-Presidente da Junta de Santa Bárbara)

* Utiliza-se a terminologia utilizada pelo nosso primeiro-ministro, atendendo às suas propaladas qualificações em Inglês Técnico.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Isto pode explicar muita, muita coisa!

Síndrome de Couvade/Gravidez por simpatia


A síndrome de Couvade consiste na apresentação de comportamentos similiares a uma mulher grávida por parte de um homem, perto da data de nascimento do seu filho, incluindo dores.

Também conhecido por gravidez por simpatia,o fenómeno é pouco compreendido embora frequente e não existe uma base fisiológica conhecida. Podem estar presentes sintomas como indigestão, apetite aumentado ou diminuído, ganho de peso, diarreia, obstipação, dores de cabeça, etc.

Em casos extremos estes pais podem desenvolver uma barriga similar a uma mulher grávida de 7 meses.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Fosse tudo na vida assim tão simples

Aqui há uns tempos, o Vaz encontrou a resposta para uma das questões que me tem assaltado desde que se percebeu que o feijão, afinal, era uma feijoa *.

"Como a palavra Académica é muito difícil de dizer, ensinam-na a dizer "Briosa", e depois explicam-lhe que é a mesma coisa que Académica".

Simples e eficaz.


* O momento exacto foi quando a obstetra, utilizando aquilo que pensamos ser jargão técnico dos médicos terceirenses, proferiu a seguinte expressão durante a ecografia: "não está aqui nada ao pendurão!"

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Areia a mais para a camioneta...

Quando percepcionamos uma clara disparidade entre a quantidade de areia a transportar e a dimensão do nosso meio de transporte interior, o que fazer? Fazer tudo para diminuir a areia a transportar, ou seja evitar defensivamente, ou reforçar a camioneta, ou seja atacar a fera?...



domingo, 30 de agosto de 2009

Santa Casa da Misericórdia da Académica

Após o jogo de hoje, proponho uma mudança de designação e de ramo de actividade para a Académica. Analisando variadíssimos exemplos, não é difícil constatar que qualquer jogador que não marque golos há mais de 3000000 minutos, ou qualquer equipa que não ganhe desde a I República, deve apenas deslocar-se a Coimbra, ou abrir as portas do seu estádio, para jogar com a Académica. Tão simples, e/ou deprimente, quanto isto.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

E saem uma dúzia de cabelos brancos para um jovem psicólogo terceirense!

Colocar, ao preencher um formulário, e pela primeira vez, o nosso nome a seguir à expressão "Nome do pai:" é das experiências mais descolhoantes*que podem existir. Garanto-vos.

* A gerência pede perdão às mentes mais sensíveis mas, sinceramente, não há expressão que traduza melhor aquilo que senti.

Silly season, colheita de 2009, by RTP Açores

Nos últimos tempos tenho constatado que as eminências que criaram a expressão "silly season" tinham, concerteza, acesso aos noticiários de Verão da RTP Açores.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

The Champiooooons!!!! *

Sim, é certo que a Académica foi a única a perder na primeira jornada da Liga. Sim, é certo que não estamos, naturalmente, bem classificados. Mas, bem vistas as coisas, estamos só a um ponto da pré-eliminatória da Liga dos Campeões, ou como dirá um dia Jorge Jesus, da Champignons.

* Tentativa de exprimir um excerto do hino da Liga dos Campeões.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A futura guardiã da Mariana



Whale watching ou como observar golfinhos anafados à beira do Monte Brasil

A observação de cetáceos nos Açores é, desde a década de noventa, uma instituição nos Açores correspondendo a uma interessante mutação sócio-económica, após a proibição da caça à baleia, no final da década de oitenta. Efectivamente, a caça à baleia, que independentemente da justeza do argumentário ecologista, era uma actividade absolutamente apaixonante em que o homem sublimava pelo arpão a sua insignificância face à grandeza da sua progenitora Natureza, foi susbstituída por uma caça aos avistamentos de cetáceos.

Na Terceira, tal actividade não é tão pujante como no Faial ou Pico, catedrais baleeiras nos Açores, mas isso não impediu que procurássemos capturar um ou outro avistamento de cetáceos nas proximidades de Angra. E, posso garantir, que passei a pertencer ao grupo das pessoas que já caçaram um avistamento... É que os pontinhos pretos da primeira foto são aparições de baleias de bico. Bem sei, que, no fundo, se assemelham a golfinhos anafados, mas são mesmo baleias! O que tem a sua graça e desperta a sua dose de excitação primária e instintiva aquando do avistamento.



segunda-feira, 10 de agosto de 2009

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O Messias da bola ou a aventura do Richard Gere português no Benfica

Muito se tem escrito sobre as pérolas do linguajar de Jorge Jesus (unanimente considerado o Richard Gere português). Como não sou ninguém para falar de gaffes, nem uma, nem duas, nem três vezes, não realizarei o obrigatório post, qual refeição micro-ondas do humor, sobre os tiros ao lado do Messias benfiquista*... Farei sim, e num exclusivo das Geometrias, uma antevisão da futura gaffe de Jesus... E o meu palpite é:

"Comigo o Benfica vai ganhar a Champignons League!..."


* E, meus amigos, haveria muito para falar. Desde os célebres "coletes efervescentes", ao "processo de neutralização" de um jogador brasileiro, aos "assuntos do forno interno do clube", às "inalações" que eram possíveis extraír de um determinado jogo ou à altura em que JJ se sentia "um álvaro a abater". Pronto... mais uma: durante um jogo JJ verbalizou o seguinte incentivo "vaiam à bola! Subem!".

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A interactividade chega às Geometrias # 2

Dando seguimento à multiplicidade de participações no Passatempo "Quero ser eu a dar o nome ao feijão", as Geometrias Variáveis abrem um novo espaço de interactividade. Sim, amiguinha e/ou amiguinho, podes participar!... Mais uma vez, este espaço é baseado numa publicação fundamental designada "A chave da felicidade e a saúde mental"*, datado do ano de 1981.

O esquema de participação é simples! Bastará que digam um número de 1 a 398 e, com um grau decente de certeza, será possível encontrar uma lição de vida para cada um de vós. Nada será como dantes.

Como aperitivo, e como demonstração inequívoca do potencial de mudança humana contida na obra, aqui fica um pouco do seu prefácio:

"O autor desta obra, pensador profundo e verdadeiro filósofo prático e construtivo, possuidor da experiência de uma vida proveitosa vivida, longos anos de paciente investigação e um frutífero estudo no laboratório vivo da natureza, demonstra a maneira de lançar mão dos numerosos recursos que estão ao alcance de cada um, a fim de abrir o caminho que conduz à verdadeira felicidade, a qual proporciona gozo."
Arrepiante...

* no original espanhol "La clave de la felicidad y la salud mental"...

Quem feio ama, bonito lhe parece... Ou não.

Numa sociedade cada vez mais fútil e desprovida de valores, a mim ninguém me tira da ideia que a razão que levou Manuela Ferreira Leite a não incluir Pedro Passos Coelho nas listas do PSD às próximas legislativas, é o facto de, à medida que vai envelhecendo, PPCoelho estar cada vez mais parecido com Manuel Monteiro... Fisicamente, claro.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

domingo, 2 de agosto de 2009

Catarse # 1 *

Nina Simone

* Porque há músicas que nos ajudam a sublimar momentos esquisitos.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

É gajo para ser uma alegia ou coiso

Tenho tido a ideia que, sem que perceba porquê e sem que faça nada de particular para o provocar, irrito uma ou outra pessoa que comigo se vai cruzando... Tenho-me esforçado, acreditem, por perceber os porquês de tal facto, até porque não gosto da sensação. Não tenho chegado a conclusão nenhuma... Mas quando perceber, logo vejo o que farei. É que descodificar este segredo pode vir a ser muito divertido. Para mim, claro.

Prós e contras de viver na Terceira # 4

Um dos contras que me chateia mais é o facto de as pessoas de quem gosto irem muitas vezes embora, é o facto de a ilha, ou se calhar todas as ilhas, funcionarem como plataformas de passagem para tantos e tantas.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Sai um petardo da Mariana!

Hoje deu para perceber que a Mariana está para os pontapés na barriga como o Barroso* estava para os golos de fora da área...



* Futebolista que passou por dois dos clubes grandes do futebol português: Académica e Porto.

sábado, 25 de julho de 2009

A casa da Mariana*

* Este vosso escriba, e a respectiva consorte, agradece os contributos fornecidos por V. Ex.as, alguns posts atrás, mas, comvenhamos que Azarias, Melani, Branda, Morgana, Abraona, Giovenália ou Agenora (?!)...

terça-feira, 21 de julho de 2009

E o programa das festas tem sido...

Lê-se: "Pavilhão dos Cancerosos" de Alexandre Soljienitsine, pela terceira ou quarta vez;
Ouve-se: Arcade Fire, Johny Cash, Damien Rice, Rita Redshoes (nota mental: levar CDs para o carro... já chega desta senhora. Eu até gosto, mas...), Nina Simone, Joy Division,...;
Vê-se: Rudo y Cursi (graças aos dotes de pirataria do P.P.);
Admira-se: a barriga da C. várias vezes ao dia.

E o dilema de hoje de psilipe é...

Não é bem um dilema... É mais a incapacidade de dar resposta, de forma clara e inequívoca, a uma questão que me foi colocada hoje pela C....

C: "Então, tu não queres voltar para Coimbra?..."
psilipe (em pensamento): "Pois...coiso..."
Pois.

Prós e contras de viver na Terceira # 3

Ser um apaixonado por jornais é uma grande desvantagem na Terceira. Por um lado, os jornais nacionais só surgem depois do almoço ou, por vezes, ao final da tarde (o que acontece ao Sábado, por exemplo), sempre dependentes das contingências das ligações aéreas; por outro, os jornais locais estão pejados de gente que os utiliza como um megafone fácil para fazer eco de futilidades, verborreias partidárias ou, simplesmente, para ter um prolongamento do ego que passe por uma rotativa... Fosse como no Astérix e o problema estaria resolvido. É que no fim das histórias o irritante bardo, Assurancetourix, era devidamente neutralizado para descanso da comunidade... Digamos que na Terceira, os bardos são tantos, com canais de expressão tão facilitados que competem pelo som de harpa mais sonante, numa lógica diária...

Gosto destes senhores *



* Só para provar que não me estou a tornar num burguês de Angra do Heroísmo**...

** Epíteto muito comum na Terceira para designar as pessoas que, sendo de Angra, da "cidade", olham com desprezo para as pessoas das outras "freguesias" da Terceira, mesmo que estas distem dois ou três quilómetros da "cidiade"...

Prós e contras de viver na Terceira # 2

Costumo dizer, quando me perguntam como é estar na Terceira (o que acontece tantas vezes quantas as vezes que o Alberto João Jardim imagina como será a bandeira da República da Madeira, quando esta for independente), que é tudo uma questão de ponderação de prós e contras, que há aspectos negativos, mas que, também há inúmeras vantagens. Eu sei que o que vou dizer a seguir é estupidamente burguês, mas o que é certo é que no Domingo joguei duas horas de golfe e vi um concerto fantástico por menos de dez euros. Sim, tem água por todos os lados, é claustrofóbico, mas...

É a cultura, estúpido!

No passado Domingo, fui ver um concerto deste senhor, Philippe Jaroussky, um contra-tenor francês, no âmbito de um Festival de Música que ocorre todos os anos pelas nove ilhas dos Açores. Não sou, nem nada que se pareça, um apreciador de música erudita mas, atendendo ao valor do senhor e a uma recomendação do D.R., lá fui. O facto de ser grátis, sinceramente, também ajudou... E digo-vos que foram duas horas que só podem fazer bem aos sentidos.

Acompanhamento vs fazer companhia: descubra as diferenças (se conseguir)

É impressionante a quantidade de pessoas que confundem empatia com simpatia, ou seja, que não percebem a diferença entre acompanhamento técnico e, simplesmente, fazer companhia seja lá a quem for. É que não é a mesma coisa, senhores.

Empatite ou o desejo de aprender a arte da Carpintaria

Funciono mal com períodos consecutivos de trabalho. Preciso de, de quando em vez, recarregar as baterias. Não consigo compreender aquelas pessoas que optam por realizar um período único de férias, no lugar de pequenas paragens terapêuticas ao longo do ano. Há uns tempos a esta parte, comecei a constatar que as minhas baterias, como nos velhos telemóveis, estão, concerteza, viciadas e com uma facilidade de recuperação bem menor... Talvez por isso, ou por outra coisa qualquer, nos últimos tempos, tenho sido acometido por surtos intensos daquilo que designo por "empatite". Ou seja, uma incapacidade marcada de me desligar dos problemas, sofrimento, desconforto, questões e questiúnculas que outras pessoas, sejam lá quem forem, apresentem. Ter empatite, posso-vos garantir, é desconfortável e conduz a uma excessiva sensibilização do paciente empático ao sofrimento e desconforto alheios em prejuízo do seu bem-estar, tranquilidade e paz de espírito... É minha crença que a empatite é mais prevalente em psicólogos que tentam trabalhar seriamente... É minha crença que se, numa súbita inflexão do percurso profissional, o paciente empático trocar a Alquimia Psicológica pela arte da Carpintaria, ou similares, ocorrerá uma regularização dos seus índices empáticos para níveis menos tóxicos... É na Carpintaria Psilipe* que está a cura para a empatite que me afecta...

* Brincadeirinha... eu gosto mesmo muito do que faço. Mesmo que, por vezes, seja muito desgastante, pelo menos tentar, fazê-lo bem.

** Já não bastava a Ronaldite... Gaita.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Pai, o que significa "autofagia"?

É mais ou menos isto:

"Todos os regimes totalitários deviam ser proibidos pela Constituição!" - Alberto João Jardim, El-Rei da Madeira...


Percebido?...

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Mistérios insondáveis

Há uma música dos Mão Morta, chamada "Tu disseste", que contém uma expressão que, recorrentemente, me vem à memória... Diz algo como:

Tu disseste "quero saborear o infinito"
Eu disse "a frescura das maçãs matinais revela-nos segredos insondáveis"

Hoje, mais uma vez, constatei que, ao contrário do que seria de supor, as maçãs matinais e a psicoterapia têm muito, muito em comum.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Para o Major Tom que há dentro de nós...



A música chama-se Space Oddity, de David Bowie, e é do longínquo ano de 1969; terá daqui a quatro dias direito a uma edição especial de comemoração das quatro décadas. Chamem-lhe piegas, chamem-lhe um "mini-melodrama", chamem-lhe o que quiserem... É uma música do caraças.

Sei anni fa

"Ddadda curtzette*"... Ecco un po' si sardo, spcecialmente, per la piccola sorella francese.


* Queste due parole significanno piccola sorella nell dialetto sardo, stilo lugodorese... :)

E o dilema de hoje de psilipe é...

...como conseguir convencer um rebento do sexo feminino do carácter fulcral, na vida de qualquer ser humano completo, da importância de acreditarmos em algo superior a nós, em algo que nos suplanta e em algo que confere (mais) significado à nossa existência terrena. Ou seja, como vou conseguir que uma miúda seja da Académica e que dê sentido à proposta de novo sócio que tenho colada no frigorífico...

Prós e contras de viver na Terceira # 1

Contra # 1 * - Sendo o espaço geográfico mais pequeno é muito mais difícil evitar chocar com todas as lesmas, nativas e não nativas, que se arrastam pelas ruas, jornais e programas de televisão indígenas em busca de protagonismo estéril e de uma qualquer ascensão rápida a seja lá o que for... E como complica, nesse arrastar lento e viscoso, o sentido (verdadeiramente) crítico e a expressão de opiniões (verdadeiramente) próprias.

* Não necessariamente a mais importante, mas aquela que mais me está a irritar hoje...

Summer time

Um pedaço do Verão, versão 2009, na Ilha Terceira.


segunda-feira, 13 de julho de 2009

Passatempo "Quero ser eu a dar o nome ao feijão*"

Pois é... A interactividade chega às Geometrias Variáveis com um passatempo** nunca antes visto. Com apenas um comentário neste post poderão contribuir para a escolha do nome do futuro membro do meu clã.

A forma de participação é simples e o regulamento também... O regulamento, pura e simplesmente, não existe; a forma de participação resume-se à realização de um comentário em que deverão colocar dois números: o primeiro entre 6 e 96; o segundo entre 1 e 24.

Através do mítico "Grande Almanaque dos Nomes de Bébé"***, conseguirei identificar o nome correspondente à cada sugestão, bastando para tal consultar a página (entre 6 e 96) onde se encontram os nomes e contar entre 1 e 24 os nomes que se encontram ordenados na página.

Posteriormente colocarei em comentário as sugestões de V. as Ex.as.

A título de exemplo: 13; 10 --> obtemos a bela graça de Albertine. Sim, senhor!

* Ou feijoa.
** Quanto aos prémios, falaremos um dia, ok?...
*** Publicação brasileira ("100 páginas por 2 reais e 90") onde podemos encontrar sugestões de nomes como Cibele, Dalmácio ou Ocator.

sábado, 11 de julho de 2009

Pelo menos posso tentar ser caddy...

"Temos que inventar um torneio de golfe sem bola para o Filipe"...

Ora aí está uma frase do sr. E., profissional de golfe, que traduz a minha evolução na prática do golfe e ilustra o óptimo treino de resistência à frustração que o golfe permite.

Feel the azorean spirit *

Correr o risco de ter um voo cancelado por condições meteorológicas a meio de Julho...

* Slogan da SATA **

** A SATA está para os açorianos como a Moisés Correia de Oliveira ou a mítica AVIC para os conimbricenses...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

psilipe's system near overload



Where is my mind, Pixies

O Juízo Final...

Acabei de ser cumprimentado por um senhores, no aeroporto de São Miguel, de bata e com uma máscara na face, que me qustionaram, igualmente, sobre as minhas dúvidas sobre a gripe A... Não fiquei assim muito assustado. O som das suas vozes, pelo efeito da máscara, é o mesmo se colocarmos uma mão à frente da boca e começarmos a emitir sons... E é isso que me está a irritar. Será que, daqui a uns tempos e até ao Juízo Final, nos vamos ouvir a todos dessa maneira abafada... Não gosto.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Esta camisola lembra-me qualquer coisa...* **


* O que só prova que há profissionais de marketing com óptimo gosto!
** Pela cor da camisola alternativa, quer-me parecer que o SLB vai lutar para não descer...

Para quando um lugar na Forbes?...

Parte do encanto da quasi-paternidade passa por uma parafernália de assuntos que têm que ser acautelados, para que a vida do rebento seja o melhor possível e para que a culpa, que a cultura judaico-cristã nos inculcou, não nos persiga até ao final dos nossos dias...

Segunda à tarde foi dia de visitas a creches... Transmito-vos um breve diálogo, que me augura um lugar na próxima lista de milionários da Forbes, relacionado com a definição do valor da mensalidade.

senhor administrativo de um local chamado "O Baloiço" - Trouxe a sua declaração de IRS?
jovem futuro pai - Sim, claro.

senhor administrativo de um local chamado "O Baloiço" - Já fiz as contas...
jovem futuro pai - E então?

senhor administrativo de um local chamado "O Baloiço" - Pois... pelas minhas contas os senhores estão no escalão máximo...
futuro pai - Mas nós não ganhamos assim tanto...

(Não gostei desta parte...)

futuro progenitor carregado de dúvidas e receios em relação a futuro - Então, se eu ganhasse dez mil euros por mês, pagaria a mesma mensalidade, certo?
senhor administrativo de um local chamado "O Baloiço" - Certo...

(Gostei ainda menos desta última parte)

música que começou a ecoar na cabeça do futuro pai: De pé, ó vítimas da fome!...

Os opostos atraem-se... *

Tal pressuposto é confirmado, quase numa lógica diária, num certo lar de Angra do Heroísmo, em que apenas existe um aparelho de televisão... Vá... Não interessa esclarecer qual.

Segunda-feira à noite... Quasi-disputa conjugal uma vez que uma certa pessoa queria seguir o Prós e Contras ** e outra uma série designada "Sobrenatural". Ou seja, alguém queria seguir um surto de verborreia entre o Santos bulldog socialista Silva, Nuno um-dia-hei-de-conseguir-ser-mais-irritante-que-Paulo-Portas Melo, Carlos marxissssta-leninissssta Carvalhas, Luís o-que-diria-o-Louçã-se-estivesse-aqui-no-meu-lugar Fazenda e Nuno Morais se-calhar-se-mergulhasse-menos-em-São-Tomé-já-era-líder-do-PSD-por-esta-altura-porra Sarmento, enquanto alguém queria ver uma série policial em que os crimes são cometidos por seres sobrenaturais e cruéis diversos do comum dos mortais...

Mais atracção é impossível, ou seja, um casamento à prova de bala.

* E ainda bem que a sabedoria popular acerta de quando em vez.
** Ok... Há uma certa dose de masoquismo numa determinada pessoa.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O terror, o drama, a tragédia...

Aceitam-se apostas sobre que ser seria originado se o Ronaldite e a Paris Hilton se reproduzissem?... Na minha visão, saíria a Floribella.

And the gold medal goes to...

Como não há duas, sem três, aqui fica a última das minhas gaffes que completa o pódio dos meus momentos de mais profunda vergonha e que significa, igualmente, a derradeira machadada na pouca dignidade que me resta após vinte e oito anos de existência.

Como uma das coisas que faço no meu trabalho é fazer o acompanhamento aos processos de formação em contexto de trabalho dos miúdos que acompanhamos, acabo por estabelecer alguma relação com os trabalhadores e responsáveis das empresas, o que, por vezes, gera diálogos imprevistos e imprevisíveis. O cenário é uma oficina de electromecânica de electrodomésticos onde se encontra a estagiar um dos miúdos que a minha instituição acompanha.

Após algum tempo de conversa, de discussão do percurso do miúdo, analisando assuntos tão estimulantes como a sua pontualidade e assiduidade na empresa, estabelece-se uma interacção diferente, em que o senhor da empresa partilha comigo que, uma vez que é pastor de uma igreja evangélica, se interessa muito pela evolução do miúdo, aproveitando o período de estágio para lhe transmitir muitos ensinamentos para a sua vida futura que lhe iluminarão o caminho.

Atendendo à evolução da conversa, e ao facto de o meu ateísmo me começar a causar alguns pruridos, achei por bem começar, subtilmente, a trilhar o caminho de saída da oficina... E na forma como o fiz, reside o busílis da questão, ou seja, a gaffe:

psilipe: Pois é, sr. X... Até queria ficar aqui a falar mais tempo consigo, mas vou ter que ir pregar para outra freguesia!...
psilipe (em pensamento, enquanto coloca um sorriso de tal forma amarelo que concorreria com os dentes do siso do Cyssokho): Então o homem é pastor evangélico e tu utilizas o verbo pregar...

E está o pódio concluído... A ordem das medalhas deixo à consideração das vossas excelsas e iluminadas mentes.

Sempre podia colocar uma placa...

Digam lá que não tinha sido giro se tivessem detectado um problema nos dentes do siso do Ronaldite?...

domingo, 5 de julho de 2009

A gaffe dos botões de punho

A pedido da Manela, partilho outra gaffe **, que concorre com a do guarda-redes desprovido de uma das mãos para o Óscar de melhor gaffe de psilipe, que está cravada na minha memória.

Quando me casei, naturalmente, fui obrigado a comprar uma farpela decente para o enlace, pelo que, a contragosto *, me dirigi a uma loja da especialidade onde trabalha um amigo de família que, vá, não partilha das mesmas opções sexuais que este escriba.

A páginas tantas, e quando escolhíamos a camisa, surgiu uma das questões sacramentais: usar ou não usar botões de punho, eis a questão!... A seguinte breve troca de palavras consubstancia a gaffe:

Senhor vendedor que professa uma opção sexual dissonante da maioria - Nesta camisa ficavam muito bem uns botões de punho...

Psilipe na versão noivo - Isso não... Não gosto dessas mariquices!

(Para completar o cenário há que referir a cara da mãe de psilipe que, mais coisa, menos coisa, traduzia uma mensagem clara: tu não disseste isso!...)

Et voilá.

* Quem me conhece sabe da minha aversão visceral à aquisição de qualquer peça de vestuário (pressupondo que camisolas da Académica não contam para esta equação...).
** Para outra altura fica a gaffe do pastor evangélico...

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Um teste de personalidade instantâneo by Geometrias Variáveis

As Geometrias Variáveis, com o forte apoio do Mestre P. G., partilham convosco um breve, democrático e económico teste de personalidade que poderão utilizar amiúde (palavra que muito aprecio)... Pode ser utilizado aquando de um primeiro contacto com um possível parceiro conjugal, por exemplo. Para os mais corajosos pode ser usado em entrevistas de emprego... O material é apenas um gelado Feast (mítico gelado das nossas infãncias) e observar a forma como a pessoa preserva ou não a placa de chocolate até final... Basta isto! Uma míriade de conclusões podem ser retiradas...

quinta-feira, 2 de julho de 2009

E o Óscar para a melhor gaffe* do ano vai para...

... moi même. Tentarei descrever a cena fielmente, como se tal fosse possível.

Na sequência do torneio da Ilha Terceira de Futebol de Rua, temos treinado os miúdos para apresentarmos duas equipas. Há miúdos que conheço, outros que vão aparecendo. No treino de hoje, surgem três ou quatro moços que fizeram o primeiro treino.

Um deles aventura-se na baliza, realizando três ou quatro defesas temerárias, dignas de um reforço positivo a rigor pela minha parte, enquanto pseudo-co-treinador. No final do jogo, acerco-me do miúdo congratulando-o pelo seu esforço e pela qualidade futebolística.

Pseudo-treinador: Muito bem, meu! Fizeste grandes defesas... temos guarda-redes!
(aqui o pseudo-treinador, ou seja eu, repara que o jovem só tinha utilizado uma luva)

Pseudo-treinador: Então tu só usaste uma luva, pá?... Tiraste-a agora ou fizeste o treino todo sem a usar?!
Jovem: Mas eu não preciso...

Pseudo-treinador: Então vais lá defender só com luva!
Jovem: Mas eu não tenho a outra mão...

Pseudo-treinador (com uma das maiores caras-de-pau alguma vez vistas por terras terceirenses): Sim! Claro! Era só para não se perder uma das luvas, pá!

* Poderiam aqui constar muitas outras, dada a minha tendência para falar antes de pensar nalgumas situações, nomeadamente com cidadãos assumidamente homossexuais, com pastores evangélicos e outros... Mas chega de vergonhas por hoje...

É impressão minha ou...

... desde que detectaram um caso positivo de Gripe A, na Terceira, passaram a ter menos graça as piadas e comentários sobre a palavra pandemia?...

2009 menos 1981 = 28...

(A nossa personagem, Filipe Fernandes aka psilipe, encontra-se a passar a ferro, no seu castelo, enquanto vê a SIC Notícias na televisão)

Locutor: "O Walkman faz hoje 30 anos! Foi em 1 de Julho de 1979 que a Sony apresentou, pela primeira vez, o Walkman..."


(Filipe Fernandes aka psilipe interrompe a marcha triunfal do ferro a vapor que, por acaso, foi uma prenda de casamento*, e sente-se estranho, velho** quando recorda que, com a sua irmã, juntou notas de 100 escudos para comprar um tecnologicamente avançado Walkman, corria o ano de 198 e troca o passo...)

(O cenário televisivo avança para a tradicional entrevista de rua, sendo que os entrevistados são petizes de dez, doze, treze anos que serão confrontados com o referido leitor de cassetes)

Jornalista, empunhando um Walkman e uma cassete: Sabes o que isto? Sabes como funciona?
Jovens petizes, aflitos com a presença de tais artefactos arqueológicos: Serve para ouvir música... Deve ter um botão qualquer para abrir, não?

(Filipe Fernandes aka psilipe sente-se um pouco mais velho quando percebe que, por um lado, entre o Walkman e o IPod/MP3/MPt36338 ainda participou activamente na febre do Diskman, e, por outro, que os petizes dominam com dificuldade o funcionamento do dinossáurico Walkman)

Jornalista: Então e tu sabes o que isto é?
Jovem petiz: Sei... É um Walkman!

(Filipe Fernandes aka psilipe sente-se revigorado! Afinal a distância que o separa das gerações mais jovens, aquelas que o ultrapassaram como esperança e futuro da nação, é uma mera miragem... Quasi-vinte e oito anos não são nada. E experiencia uma estranha sensação de alívio e tranquilidade)

Jovem petiz (a mesma do diálogo anterior): Já vi uma coisa desta em casa da minha avó...

(Filipe Fernandes aka psilipe sente o mundo a desabar e tem a tentação de correr para um espelho e repetir a verificação diária do número de cabelos brancos que começam a irromper do lado direito da sua cabeça. Não o faz, sentindo que nem tudo está perdido... Afinal a avó e a mãe da jovem podem ter sido mães solteiras sexualmente muito precoces... Há famílias assim! É uma pena... Pobre criança...)

Jovem petiz (ainda a mesma): É onde ela ouve as cassetes da lambada...

(Filipe Fernandes aka psilipe recorda-se da dança brasileira, recorda-se que se lembra do nome da banda que internacionalizou a lambada e que consegue trautear a melodia e letra... Contempla seriamente a possibilidade de frequentar um ginásio, enquanto admira a sua constituição abdominal... Amanhã será o dia da mudança para ele! Nada será como dantes... Afinal ele ainda é um jovem!...)


* Tecnicamente não foi uma prenda de casamento, uma vez que foi comprada por nós de uma lista de casamento que não foi totalmente adquirida... Mas penso que conta como prenda na mesma...

** Se calhar isto é efeito de estar à beirinha dos vinte e oito anos...

quarta-feira, 1 de julho de 2009

A União faz a força...

Uma foto captada por moi même saíu da edição de hoje d'A União, jornal de referência (a partir de hoje) do burgo terceirense...

Podem encontrá-la aqui.

terça-feira, 30 de junho de 2009

O Chef recomenda...


Decididamente a não perder. Estou ansioso por rever na remota possibilidade de passar por Angra do Heroísmo.

A lição do dia

Allways look up... *


* Mesmo depois de dias de merda. Principalmente depois de dias assim...

Manifesto

As Geometrias Variáveis vão, em breve, lançar um manifesto onde se defende que o futuro do país está dependente da realização de um certo-número-de-obras-públicas-mas-sem-abusar-muito-que-tudo-o-que-é-demais-enjoa-um-pouco.

Serviço público, meus senhores...

"Cromos pedidos"

Atendendo à especial referência do Fintas*, aqui fica o mítico Agatão, médio defensivo que espalhou charme pelas canelas adversárias nos anos 80 e 90...

* Que poderá ser um dos protagonistas do pior programa de rádio alguma vez realizado por terras terceirenses. O que, convenhamos, não será nada fácil.