sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Do you know what I mean?...

A mera permanência por meia dúzia de dias, quanto mais por um período superior a três anos, nos Açores tem uma relação directa com a quantidade de referências à possibilidade/obrigatoriedade de assimilarmos, por um qualquer processo de osmose linguística, o dito sotaque açoriano. Mesmo que se esclareçam as pessoas que o dito e malfadado sotaque se extingue em São Miguel, persiste uma vontade férrea de identificação de marcas exteriores do processo de aculturação que, virtualmente, acaba por acontecer. No entanto, o facto de não existir "sotaque açoriano" de São Miguel (que está para o bem falar português como o Bynia para a meiguice) não significa que não haja particularidades no falajar terceirense, muitas delas relacionadas com a miscigenação da Língua de Camões com o "americano", fruto do fenómeno da emigração para os Estados Unidos e da convivência próxima com os militares americanos da Base das Lajes. Aqui ficam algumas pérolas. Colocarei outras proximamente...

suera - casaco de malha tipo sweat-shirt
gama - pastilha elástica
mapa - esfregona
pinotes - amendoins
estoas - grandes armazéns existentes na América
frisa - congelador
cula - arcas congeladoras/geleiras
clauseta - guarda roupa encastrado nas paredes
pilou - almofada
massa de pinotes ou a pinabada- manteiga de amendoim

4 comentários:

Calado disse...

LOL!!!!!
ainda sao piores que os avecs

Filipe Fernandes disse...

E isto é só uma amostra... A relação do terceirense com os Estados Unidos, ou como se diz por cá com a Amuérica, é singular e muito diferente dos restantes portugueses, fruto de uma convivência muito chegada, social e economicamente falando... Por isso é que, na Terceira, é possível mascar uma gama, enquanto se veste uma suera, depois de termos limpo a clauseta e a friza com o mapa... Mais do que "avecs", o pessoal é mais "with's"... :)

Oliveira disse...

Filipe este é muito bom:

alvarozes - jardineiras

Filipe Fernandes disse...

Já para não falar das "braceletes", ou seja, das camisolas de alças...