quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Universidade de Coimbra: regresso a Setembro de 2000

Há uns dias, em mais um episódio da saga* "psilipe em busca de uma certidão de conclusão do Mestrado Integrado na Secretaria Geral da Universidade de Coimbra"**, dei por mim a constatar que, por vezes, as instituições geram e perpetuam, com um sorriso nos lábios, dinâmicas que são a constatação da sua própria ineficácia, do seu enquistamento e da sua falibilidade. Observar, ano após ano, as filas na Secretria Geral, a passividade com que as pessoas as encaram, a forma como não (se) questionam, a postura e limitação das funcionárias, obriga à constatação de uma enorme disparidade entre aquilo que deveria acontecer numa escola de vida, de moldagem de mentes críticas e de desenvolvimento de valores de cidadania e aquilo que, infelizmente, acontece.

* Saga esta, à semelhança de muitaos registos cinematográficos, em que as sequelas vao tornando o conjunto progressivamente pior.

** Que este post não seja entendido como uma cedência àqueles que insistem em manifestar-me, por vezes de forma exuberante, o seu ódio primário contra tudo o que cheire a Coimbra***... Se é assim em Coimbra, imagino em muitas universidades que andam por aí.

*** Coisa que, aliás, nunca entendi.

Sem comentários: