sábado, 12 de dezembro de 2009

Prémio Nobel

Pensará o atento leitor que, atendendo à atribuição recente dos Prémios Nobel, o título do presente post preconiza uma aturada análise crítica da justeza da consagração de Barack Obama como Prémio Nobel da Paz, com intrincados raciocínios geo-políticos alicerçados numa opinião pessoal e fundamentada... Se assim é, devo referir que, antes de mais, padece de um qualquer distúrbio que o leva a sobrevalorizar as capacidades deste escriba, que, em segundo lugar, concerteza, não leu a maior colecção de futilidades e disparates constantes na Internet da autoria do mesmo (constantes em http://www.geometriasvariaveis.blogspot.com/...) e que, por fim, efectivamente, o post é sobre este senhor...




Presumo que ninguém saiba quem é este senhor de aspecto simpático... Chama-se Mário Cordeiro e no seu cartão de visita deverá constar a palavra "Pediatra". Mais do que isso, é autor de uma bíblia nacional para seres humanos que experimentaram/experimentarão as delícias/sevícias resultantes do nascimento de uma pequena máquina de cólicas, choros e sons corporais acabados em "inho" que, comummente, se designa como "bebé".

Efectivamente, o Grande Livro do Bebé, ao contrário do que é habitual nas publicações que ostentam títulos com a palavra "grande", não padece de um distúrbio narcísico... É mesmo "grande" em todos os sentidos... E uma ajuda enorme quando os novéis pais padecem de pequeninos surtos do foro obsessivo-compulsivo...

Por tudo isto, a atribuição do Prémio Nobel ao Obama é de somenos importância. Relevante, e verdadeiramente justo, é exigir a atribuição do Prémio Nobel da Paz 2010 ao profeta Mário Cordeiro, pela forma como o seu livro pacifica os anseios, o sentimento de impotência e tumultos interiores de jovens pais (quasi e por vezes) à beira do desespero!

Sem comentários: