quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Caríssimos visitantes...

... alguém que me vote na enquete que está à direita! Ver se dá para chegar às dez almas! Vá lá... Vocês conseguem!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

E a grande questão da semana é...

... aquela que consta na fantástica sondagem do Geometrias Variáveis, com alto patrocínio do Blogger*. Qual foi a coisa mais ridícula da última semana? Terá sido, hipótese 1, a exibição de Isabel Alçada no novo programa do Canal Panda ("Bora infantilizar todos os alunos deste país! Boa?!"), a ideia peregrina de expor todo o futebol português ao ridículo quando Gilberto Madaíl propõe ao Real Madrid cravar Mourinho por uma "pisquinha" de tempo ou a ameaça pseudo-narcísica do Benfas de, qual Luís de Matos da bola, de fazer desaparecer a sua massa adepta dos jogos fora**?

Façam os vossos votos, enquanto Ricardo Rodrigues não me roubar o computador. Aproveitai.

* Uma vez que caso a ferramenta das sondagens não existisse em formato de pré-definição, nunca na vida o meu analfabetismo em HTML me permitiria fazer uma brincadeira semelhante.

** Imagino os dilemas que isto causará, de forma indecente, nos milhares de emigrantes que ainda estão de férias, em Setembro... Não, não estou a brincar. Acho mesmo indecente.

Uma Aventura no Jardim de Infância *


Realmente as "vinte e quatro horas do dia" servem para fazer muita coisa... até vídeos idiotas. Depois desta exibição, acho que até o João, o Chico, o Pedro, as gémeas Teresa e Luísa, o Faial e o Caracol coraram de vergonha.


Já se aperceberam das semelhanças da postura da Senhora Ministra com a caricatura que o saudoso Vasco Granja aceitou personificar de si próprio na mítica Herman Enciclopédia?...


* Este vídeo despertou em mim aquela estranha sensação que surge quando sentimos vergonha por outra pessoa, mesmo por alguém que não conhecemos de lado nenhum... O que é sintomático, penso eu...

domingo, 19 de setembro de 2010

Estes senhores...

... não conhecem a Siena, felino que reside cá em casa. A Siena está, mais ou menos, para o mundo dos gatos, como Chuck Norris está para o mundo dos humanos. A Siena, tal como Chuck Norris, não respira; simplesmente, aprisiona o ar nos seus pulmões. Não dorme, espera. A Siena, se quisesse, praticaria o yodeling em qualquer ser humano, no espaço de um par de segundos, mesmo no próprio Chuck Norris. Felizmente, nunca tal lhe passou pela cabeça...


Escusado será dizer que, quando tentei praticar o yodeling com a Siena, ganhei uma bela ferida no interior do nariz. Que me está a doer... Começo a desconfiar que a kriponite não passava, no fundo, de bolas de pelo da Siena.

R.I.Q.U.E.Z.A.S.

Hoje deu-me para ter saudades destas almas... Hoje deu para me lembrar que terminei a licenciatura há cinco anos... Hoje deu para me sentir esquisito... Hoje deu-me para a nostalgia... Espero que isto passe amanhã.

É só para lembrar...

... que um retrato deste senhor deveria constar na definição de "desfaçatez"* no Dicionário Ilustrado da Língua Portuguesa. Sim, este senhor furtou dois gravadores a jornalistas. Sim, este senhor utilizou justificações e subterfúgios pseudo-legais desprovidos de sentido para justificar o seu acto. Sim, este senhor não demonstrou uma ponta de arrependimento e de culpa por aquilo que fez. Sim, este senhor continua a representar todo e qualquer um de nós na casa da Democracia. Não, ninguém se devia conformar com esta situação. Sim, temos um país "esquisito"*.



* Para não dizer outra coisa...

Saber fazer contas...

... sucks. Cada vez é mais fácil constatar que se psilipe e família fossem discípulos do Governo na forma como gerem os seus (parcos) capitais, o Alfa Romeo Giulietta* já poderia estar na garagem. Porque raio é que sabemos fazer contas?!


* Fora de brincadeiras, este automóvel é uma coisa do outro mundo... no bom sentido, claro, como diria alguém que conheço.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Palavras para quê?...

Questionada sobre a forma como lidava com a morte ilegal do touro, nas festas de Reguengos de Monsaraz, uma jovem senhora proferiu a seguinte pérola:

“Não me faz confusão porque já estamos habituadas… E é tão bonito! É arrepiante! Sentimos a banda a tocar, o touro a matar. É uma emoção tão bonita que nós não conseguimos ver a festa de Monsaraz sem isto…”

Esperemos, para o seu bem, que não instituam a tradição de limpar o sarampo a pessoas com a graça de Adelaide Paixão, nome pelo qual responde a insigne entrevistada. Era gaja para mudar um pouquinho de opinião, quer-me parecer.

She's back!

Aqueles que têm acompanhado a saga do Geometrias Variáveis (sim... é verdade... continuo a agradecer a vossa piedade!), recordar-se-ão do fenómeno Fernanda Durão, a senhora que defendia que a Terceira seria a terra natal dos primeiros faraós, teoria que justificou uma reportagem na Sábado, há uns tempos atrás... Tal foi abordado aqui, aqui e aqui.

Eis senão quando, como se a dose de ridículo não fosse, já, sobrehumana, fiquei a perceber, há uns dias, que a senhora está na Terceira a realizar escavações para descobrir uma pirâmide...

Espero conseguir descrever os próximos episódios nesta saga nos próximos tempos... E sim. Isto é de doidos.

domingo, 12 de setembro de 2010

E não é que também tivemos um nine eleven?...

Reportagem muito bem escrita, publicada no Público no fim-de-semana. Não deixa de ser interessante como apropriamos as tragédias alheias, desconhecendo aquilo que se passa em Portugal. Desconhecia este acidente ferroviário, em Alcafache, na Beira Alta. Penso que não serei o único, cuja descrição é arrepiante. Vale a pena ler.

O 11 de Setembro de Alcafache foi há 25 anos - Sociedade - PUBLICO.PT

Falando na Mata do Buçaco...

... vamos ao Luso!

A propósito das Sete Maravilhas...

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Pois...

"O Estado não tem capacidade de dar uma resposta social tão ampla (como aquela que é, efectivamente, necessária)". Helena André, Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, 31 de Agosto de 2010.

Pois...

domingo, 29 de agosto de 2010

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Medo... muito medo...

Só pode ser um pesadelo...

Mariana, em 2020: Pai... inscrevi-me numa Jota!

psilipe (em pensamento): Antes a droga...

Medo... muito medo...

Edital

Abriu a caça à IPSS na Região Autónoma dos Açores. A caça ao trabalhador social é, igualmente, permitida. Não está autorizada, por ordem das entidades competentes, a captura das espécies de tonalidade rosa.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Como é que ninguém vê isto?...

Não tivessem o Hélder Barbosa e o Luís Aguiar passado pela Académica e queria ver se o Braga conseguiria estar a ganhar em Sevilha, à beirinha da Liga dos Campeões.

domingo, 22 de agosto de 2010

Cinco anos depois...

...já era tempo de ter encaixado uma coisa ou outra. F...-se.

Estas férias andei por aqui...

Como, felizmente, os sacramentos do mergulho são diferentes daqueles que constam nos calhamaços da Igreja Católica, voltei a baptizar-me! Ou seja, fiz, pela segunda vez, baptismo de mergulho, desta vez junto aos destroços do naufrágio de um vapor, o Lidador, que decorreu no final do século XIX (1878), na Baía de Angra.


O que é nacional é bom...


+


=

sábado, 21 de agosto de 2010

Polvo à Queiroz...

Diz o povo que existem mil e uma maneiras de cozinhar o fiel amigo*. Não faço ideia se tal se aplica ao seu vizinho marítimo polvo, mas no dia em que surgir um livro gastronómico sobre como cozinhar o dito cefalópode acredito que seja escrito por Carlos Queiroz.

Passo a explicar... não bastava o condutor de homens** campeão do mundo em 1989 e 1991*** ter sido condenado por ter aludido à realização de análises anti-doping nas zonas recônditas da progenitora da pessoa que superintende o combate ao doping em Portugal, agora será alvo de mais um processo disciplinar devido a ter realizado uma observação sobre um dos milhentos directores da Federação Portuguesa de Futebol.

Queiroz referiu, numa entrevista ao Expresso, que o tal director, Amândio de Carvalho, era a cabeça de um polvo. Está mais do que visto que não nutro especial simpatia por Carlos Queiroz, ou seja, a prova provada que tenho um mínimo de bom senso e que percebo uma ou duas coisas sobre bola. Mas, neste caso particular, há que defender o senhor... Basta ver as seguintes imagens...



O homem limitou-se a constatar um facto. Afinal o nosso seleccionador percebe da coisa! De polvos, claro.


* Expressão que aliás nunca percebi e que, se pensarmos bem, pode explicar porque alguns povos orientais degustam, alarvemente, canitos de várias raças.
** Esta expressão é sempre utilizada como forma de caracterizar o carácter carismático de qualquer mister. No entanto, parece-me que acaba por fazer mais sentido lê-la no seu sentido literal, pelo menos neste caso. O Queiroz tem tanto carisma e talento como um mero condutor de transportes colectivos de passageiros.
*** Pois... ninguém esperava que esta metamorfose do simpático senhor de bigode e fato de treino que nos trouxe duas taças. Parece coisa do Kafka.

Atenção...

...é melhor ligar a isto. É que o senhor é uma entidade nessa matéria.

Sócrates acusa Passos de prestar "mau serviço ao país" - Política - PUBLICO.PT

E assim se escreve a história! *

1 Académica 2 1 1 0 3-2 4
2 Sp. Braga 1 1 0 0 3-1 3
3 FC Porto 1 1 0 0 1-0 3
4 Nacional 1 1 0 0 1-0 3
5 P. Ferreira 1 0 0 1-0 3
6 V. Setúbal 1 1 0 0 1-0 3
7 Olhanense 2 0 2 0 1-1 2
8 Beira-Mar 1 0 1 0 0-0 1
9 U. Leiria 1 0 1 0 0-0 1
10 V. Guimarães 1 0 1 0 0-0 1
11 Benfica 1 0 0 1 1-2 0
12 Marítimo 1 0 0 1 0-1 0
13 Naval 1 0 0 1 0-1 0
14 Rio Ave 1 0 0 1 0-1 0
15 Sporting 1 0 0 1 0-1 0
16Portimonense 1 0 0 1 1-3 0

* Ok... só passaram duas jornadas, há catorze equipas que têm um jogo a menos. Mas, por mais que puxe pela cabeça, não me lembro de nenhuma altura, nos meus míseros vinte e nove anos de existência, em que a Académica ocupou o primeiro lugar do campeonato (sem no campeonato da ordem alfabética, de que tanto gosto).

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Rui Santos pergunta: quem subirá de divisão nas próximas Eleições Regionais?

Fico doente com os alpinistas político-sociais. Fico doente com a forma como, nos Açores, os alpinistas se acotovelam alavancados pela consciência que a montanha, por estas terras, não é assim tão grande e que qualquer um pode chegar sabe-se lá onde...

Já se sabia que as Jotas estão cravejadas de alpinistas, funcionando como uma espécie de Divisão de Honra, em que os participantes se exibem para justificar a subida de divisão à SuperLiga, onde actuam os seus ídolos...


Como se não bastasse, surgem agora os alpinistas das Associações Juvenis*, que estando numa espécie de II Divisão B, desesperam por outra coisa qualquer que lhes permita manter protagonismo, parangonas facilitadas nos jornais locais (cujo poder de selecção editorial está para a qualidade como a boa educação está para o Carlos Queiroz...) e um fátuo sentido de serviço público, pervertido pela obtusidade dos objectivos individuais. Mas sempre com uma self-proclaimed "irreverência jovem" que não passa de uma reverência encapotada a quem os domina e orienta, de quem abdica do sentido crítico e da defesa descomplexada de ideais em nome da tal subida de divisão que tanto almejam.


É por estas e por outras que é óptimo ser da Académica... Em termos futebolísticos e na forma como vivenciamos o quotidiano.

* Atenção... há excepções...

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

To gatinhate or not to gatinhate...

Começo a aperceber-me que existe um conjunto de semelhanças entre a Mariana e o nosso País... Passo a explicar, acrescentando que, a partir deste momento, não sou eu que estou a falar, mas sim um arcanjo perverso qualquer*.

Nos últimos tempos a espiral ascendente** do desenvolvimento da Mariana tem-na guiado ao maravilhoso mundo da locomoção. E, efectivamente, o dia-a-dia da garota parece-se imenso com o quotidiano do nosso Portugalinho...

A Mariana, ao tentar gatinhar, arrasta-se velozmente para trás, afastando-se das coisas que lhe colocamos à frente.

A Mariana, em vez de tentar aprender a colocar-se de pé de forma suave e ponderada, tenta levantar-se apoiada em todo e qualquer objecto que lhe surja no campo de visão, o que origina uma sucessão jeitosa de tombos.

Enquanto faz tudo isto, a Mariana baba-se profusamente...

* Quem interpretar esta frase como uma alusão humorística ao discurso do profeta de Arganil, engana-se... É um esforço de segurança simples. É que por terras açorianas fazer uma alusão menos positiva ao Partido Socialista começa a ser equivalente a vender um kit de bruxaria numa visita à Vivenda Torquemada. Quer num cenário, quer noutro queimam-se pessoas com bastante facilidade.

** É assustador como num fim-de-semana lhe apareceram dois dentes, começou a semi-gatinhar, a tentar colocar-se em pé e a jogar poker online... Já lhe explicámos que é preciso ter muito cuidado com os dentes e na forma como se desloca cá por casa.

O jogo do Exame Mental: desafio aos psi's!

O vídeo que se segue, em que o proclamado Profeta Extraterrestre de Arganil se apresenta ao mundo, disponibiliza um tratado de Saúde Mental de forma totalmente gratuita... Para quê ler, unicamente, os livros sobre Exame Mental nas aulas de Psicopatologia e Psiquiatria?

Aqui fica o desafio: o que encontram no vídeo que devesse constar num relatório diagnóstico*?



* Deixo apenas uma pista: há uma ou outra coisa que não é lá muito funcional...

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Uma Aventura na Escola starring Isabel Alçada...

É impressão minha ou a Ministra da Educação pretende promover a reedição diária de um dos seus livros mais emblemáticos? A nuance é que ela é uma das personagens principais e o final não augura nada de bom para aquelas coisas irritantes que pululam nas escolas e que mudarão a face do nosso país, ou seja, os garotos.

Espelho meu, espelho meu...

Tenho olhado muito para o espelho nos últimos tempos. Não me tem constado que me esteja a crescer uma lustrosa camada de pêlo, nem umas orelhas de dimensão considerável. Não tenho notado uma maior vontade de uivar nas noites de lua cheia. Continuo com uma relação saudável com as casas de banho, utilizando ambas as pernas como apoio para a efectivação de actos urinários... Se é mais que certo que não me estou a transformar num cão, porque raio é que parece que o último ano contou por sete?!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Pedido...


Um dos componentes da amizade é um interesse inquestionável naqueles de quem gostamos e uma preocupação permanente com o seu bem-estar e felicidade. As variações e mutações da nossa saúde mental são um dos factores que mais contribuem para o comprometimento do nosso bem-estar, constituindo factores de grande preocupação para os amigos daqueles que vivem períodos mentalmente mais instáveis e disfuncionais. Posto isto, e acreditando que partilham dos pontos de vista que referi, venho por este meio solicitar um internamento compulsivo, e a vossa pró-actividade para a sua concretização, caso me vejam com um destes objectos...

A Mariana agradece a vossa atenção.

sábado, 7 de agosto de 2010

Now what?!

Acho que esta coisa da Terceira se está, ela própria, a tornar uma "geometria variável"...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Antes a morte que tal sorte...

Está à vista a solução para a construção de um verdadeiro papel para a prisão, enquanto elemento de redução da criminalidade e de dissusasão do comportamento desviante... Incluir nas penas a impossibilidade de utilizar a PlayStation 2 é o verdadeiro factor que colocará a mitragem a pensar no seu futuro... Já estou a imaginar:

- "Podia assaltar este banco, ficar cheio de dinheiro e estar bué de tempo sem fazer a ponta de um corno... Não serei apanhado de certeza... Mas, espera lá! Se for apanhado deixo de poder jogar PlayStation. Chiça! Vou mas é trabalhar!"

Sintra: Presos em greve de fome para jogar Playstation 2

terça-feira, 3 de agosto de 2010

The freak show...

...versão antes da separação cirúrgica*.

* Mal, por mal antes a mulher barbuda. Tragam lá a Fernanda Ribeiro.

Let the games begin!

Dia 3 de Agosto de 2010... Começo oficial da silly season.

Para quando...

... um concurso como o "The Biggest Loser" para o ego de umas quantas alminhas que se vão atravessando no meu caminho.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Já agora...

Depois da inusitada sugestão da Ministra da Educação em acabar com as retenções no sistema de ensino português, José Sócrates pondera acabar também com a maçada das eleições... Seria tão mais simples.

domingo, 1 de agosto de 2010

"À mulher de César não basta sê-lo. Tem de parecê-lo!"

Há uns tempos, a primeira-dama dos Açores realizou uma deslocação ao Canadá que gerou uma forte polémica na sociedade açoriana, uma vez que custou a módica quantia de 25700 euros* ao erário público. Insurgiram-se vozes de protesto, outras de defesa acérrima da deslocação da senhora à diáspora açoriana.

Aparentemente, após um comentário de Nuno Rogeiro na sua coluna na revista Sábado sobre o assunto, e qual cavaleiro andante da modernidade, o Governo Regional dos Açores deu-se ao trabalho de enviar uma "longa carta" ao escriba em questão. Não resisto a transcrever o texto escrito por Nuno Rogeiro, na edição da Sábado de 29 de Julho...

"Escreve-me o Governo dos Açores uma longa carta, que agradeço, como resposta ao curtíssimo comentário sobre gastos da primeira dama regional, numa deslocação ao Canadá. Ninguém discute aqui os méritos pessoais e morais da pessoa mencionada. Desde logo se explicou ser a identidade, ou o sexo, irrelevante:poderia escrever-se Madame X, ou Professor Pardal. E ninguém discute a necessidade de existirem assessores nas áreas da cultura. Muito menos se contesta o imperioso trabalho de contacto com as comunidades emigradas. Mas a época é de restrições extremas. E torna-se necessário - sempre - evitar qualquer suspeita de ligação entre família e política. Deveria, assim, liminarmente, ter existido escusa do cônjuge do governante. E supressão de uma visita cara. Ou a sua redução ao mínimo (uma pessoa). Ou, melhor ainda, a substituição da viagem pela presença de diplomatas portugueses, residentes no país em causa. Seriam boas práticas. Boas, que digo eu? Obrigatórias."

* Mal, por mal ficou cerca de quinhentos contos de réis mais económica do que o embelezamento de uma rotunda em Angra do Heroísmo. Haja boa gestão. As duas coisas somadas permitiriam que um projecto social óptimo, que funcionava na Terceira, pudesse continuar, no mínimo, durante mais dois anos. Mas o que é que interessa ter um local de referência num território socialmente complicado, não defraudar as expectativas de crianças e jovens vulneráveis e descrentes, criar um espaço de promoção de mudança, quando se pensa em viagens de cinco dias ao Canadá ou em placas giratórias de trânsito catitas?...

Para quando o Cillit Bang na Selecção Nacional?

Corria o ano de mil, nove, nove, três quando foi proferida uma das frases mais emblemáticas da Selecção Nacional... Em pleno Estádio de San Siro, Carlos Queiroz, após o seu primeiro falhanço como treinador de seniores, sublinhou que era "preciso varrer toda a porcaria que há na Federação Portuguesa de Futebol"*.

What goes around, comes around... Quem é a porcaria agora?...

* É impressionante como, já na altura, Carlos Queiroz demonstrava ter um controlo de impulsos e a resistência à frustração de uma amiba.

Para quando...

...uma Liga decidida pelo critério da ordem alfabética? É que 2010/2011 seria mais um ano de domínio da Académica, mais uma vez sem qualquer tipo de reconhecimento. Que obsessão com aquela coisa dos golos!

1º Académica
2º Beira Mar
3º Paços Ferreira
4º Benfica
5º Marítimo
6º FC Porto
7º Sp. Braga
8º Sporting
9º U. Leiria
10º V. Guimarães
11º V. Setúbal
12º Rio Ave
13º Nacional
14º Naval
15º Olhanense
16º Portimonense

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Rai's parta a desejabilidade social...

Psilipe está a resistir a fazer um post pseudo-humorístico sobre o internamento do vocalista dos UHF (o self proclaimed Jim Morrison português...) com um problema no intestino grosso...

Isobel Campbell and Mark Lanegan - Salvation



Boa malha... Um agradecimento ao colega aprendiz de feiticeiro do gabinete do lado.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Para quando um Oscar?*

* Para o meu Carocha...

A Selecção de Todos Nós*

Na sequência de mais uma polémica a envolver Carlos Queiroz, o GV destaca uma das frases do dia: "Todos os que trabalham comigo sabem que não sou um atrasado mental, nem demente, nem alcoólico, nem esquizofrénico", alvitrada pelo próprio.

Como sou pouco dado a diagnósticos a metro**, atrevo-me a dizer que tais termos poderão ser, efectivamente, alvo de uma utilização abusiva, atendendo a que, pelo menos que se saiba, nunca houve lugar a uma avaliação psicométrica ao paciente em questão. No entanto, se acrescentarmos a esta caracterização a expressão "treinador fraquinho, arrogante e pago a peso de ouro" já não digo nada... É que esse diagnóstico está mais que feito.


* Nunca uma expressão fez tão pouco sentido.

** Assim como a pessoas que pensam que fazer "psicoterapia" é dar "duas de paleio muit'á frente" com garotos.

karma *

É impressão minha ou a forma obstinada como toda e qualquer pessoa da estrutura dirigente do Benfas surge a defender o rapaz espanhol da baliza podia ser ilustrada com a imagem de alguém a debater-se desalmadamente contra areias movediças, enquanto dá tiros consecutivos nos dois pés?... Mais ou menos oito milhões e meio de tiros.

* A lesão do Quim num dos primeiros treinos do Braga é a prova que as tretas do karma são mesmo isso... tretas.

Uma das companhias das tardes de trabalho*

* em que se aguardam, ansiosamente, uns míseros dias de férias em Agosto**.

** Ouvido, normalmente, perto de uma "estufa"...

quarta-feira, 28 de julho de 2010

A/C Sr. Tony Ramos

Ex.mo Senhor Tony Ramos,

espero que esteja tudo bem consigo.

Estranhará, concerteza, a recepção desta missiva, uma vez que o meu nome não lhe dirá rigorosamente nada; já a história que lhe relatarei abaixo, julgo que merecerá a sua melhor atenção e compreensão e justificará o envio da presente comunicação. Chamo-me Psilipe e sou um feliz pai de uma criança com perto de oito meses. A paternidade tem sido uma experiência óptima, incólume até ao passado Sábado, pelas razões que passarei a expor. Temos tentado habituar a Mariana, a nossa filha, a frequentar diversos ambientes, o mais cedo possível. Já a levámos à praia duas vezes e a coisa correu bastante bem, à excepção de um pequeno pormenor que passarei a explicar adiante e que implica um pequeno enquadramento. A Mariana gosta muito da nossa gata, perdendo uma parte relevante do seu dia a arrancar mãos cheias de pêlos ao pobre animal que, indefeso, aceita, placidamente, o seu triste destino de acabar careca dentro de alguns meses. As pessoas quando vão à praia, tendem a levar pouca roupa e eu não sou a excepção à regra, pelo que costumo estar em tronco nu. No Sábado passado apercebi-me que a Mariana tende a confundir as pilosidades que possuo no peito e nas axilas, com o casaco de pêlo da Siena, pelo que passa grande parte do tempo a tentar realizar uma depilação forçada à minha pessoa... o que não é agradável, principalmente quando ela me arranca pêlos em alturas em que não estou à espera. Assim sendo, e apelando aos seus instintos mais misericordiosos, venho por este meio solicitar a sua ajuda para as alturas em que me dirigir à praia. O Sr. Tony Ramos é conhecido pela pouca percentagem de pele que não se encontra embelezada por uma farta pilosidade que, aliás, diga-se, lhe dá um charme muito especial. Assim sendo, venho por este meio solicitar a sua solidariedade para o meu problema resultante da existência concomitante da Mariana e da praia em geral. Pedia-lhe que sempre que eu tivesse que ir à praia, na companhia da minha herdeira, o Sr. Tony Ramos me acompanhasse. Se tal acontecesse, penso que a Mariana se distraíria com outras coisas e me deixaria aproveitar a praia, principalmente numa altura como esta em que ando com imensas preocupações na cabeça. Prometo que o aviso com um ou dois dias de antecedência para que possa organizar tudo e para que este apoio misericordioso que lhe solicito não lhe complique a vida.

Aguardo resposta, esperando a sua máxima compreensão.

Cumprimentos,

psilipe

terça-feira, 27 de julho de 2010

It´s the final countdown...

E chegou a altura de afrontar a questão que tem intrigado a sociedade ocidental... Para além do término do seu hiato, a que local misterioso da blogosfera nos conduziria a contagem decrescente do GV?... O Mundial de futebol da África do Sul terminou há já algum tempo, gerando um ruído de fundo imenso sobre as decisões (ou falta delas) de Queiroz, da instabilidade adolescente do Ronaldite ou da habitual tendência para o acicatar das feridas narcísicas do nosso burgo com as oscilações de onze caramelos de calções (sem serem escuteiros... ainda a expressão seria onze caramelos de calções e meias com berloques). Meus amigos... esqueçam a carapinha de Rui Santos ou a cacofonia organizada de Luís Freitas Lobo. Convosco, as opiniões que faltavam, a chave que permitirá descodificar todas as dúvidas resultantes da participação portuguesa no maior certame do futebol mundial.









Mai'nada.

sábado, 24 de julho de 2010

Hiato

Pois... pois... este pasquim cibernérico começou com a palavra hiato, respeitando a minha peculiar admiração por algumas palavras que o linguajar português votará ao abandono*. E, como acontece em 99,9999% dos blogues, chegou a um período crítico: um hiato no seu percurso. Lá diz a sabedoria popular, "do hiato viémos, ao hiato regressaremos". Sim... sei que não é bem isto. Mas o que é certo é que esta expressão, totalmente inventada, se poderia aplicar aqui ao tasco, pensando nos últimos meses, o que não é nada, nada interessante. Até porque sempre foi um objectivo meu não deixar que o GV tivesse o mesmo destino do saudoso TerceiraParte.

Os últimos meses têm sido esquisitos, esquisitos ao ponto de ser difícil vir aqui discorrer coisas de interesse, naturalmente, incomensurável. Têm significado, efectivamente, um hiato numa série de aspectos, sendo de assinalar uma clara as ssimetria na forma como as coisas evoluem (ou involuem) nas diferentes áreas em que se compartimenta a minha humilde existência. Sem que haja, sempre, a melhor capacidade de estancar alguns vasos comunicantes entre coisas que, por vezes, são uma merda e outras que são sempre excepcionais. Mesmo que o enviesamento esquemático derreta a acuidade das interpretações.

Nos últimos meses deve ficar, acima de tudo, uma palavra: Mariana, Mariana, Mariana... E mais não digo. A não ser realizar uma forte recomendação a todos os que me lêem (sim, a ambos as duas pessoas que chegaram aqui por engano, como diria a minha avó...) para que contribuam para os índices de natalidade e que atenuem as desigualdades da pirâmide demográfica.

Fim do hiato do GV. Que seja o início do fim de outros hiatos.

* A não ser que a passemos a escrever na forma de "yato" numa qualquer futura revisão da Língua Portuguesa (seja lá isso o que for...).

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

O Elo Mais Forte

Há uns tempos um dos inevitáveis concursos de cultura geral** da hora de jantar chamava-se O Elo Mais Fraco*; nos últimos dias tenho concorrido, sem que o consiga evitar, a algo que poderia ser chamado O Elo Mais Forte ou O Elo que Faz Mais Falta. Dois mil quilómetros de distância e uma paternidade feliz não combinam puto.


Foto captada pelo vosso escriba na Ilha do Faial, perto do Monte da Guia.

*Cuja versão inglesa é muito, muito mais interessante.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

domingo, 10 de janeiro de 2010

Portugal, meu amor

Tenho procurado apanhar na SIC Radical as reposições dos dodumentários "Portugal, Meu Amor" realizados pelo jornalista Hugo Gonçalves*. O documentário é um estilo que aprecio e que, na minha visão, está amplamente subaproveitado em Portugal, pelo menos no que concerne a uma abordagem mais crítica, irreverente e descomprometida ao documentário, enquanto intrumento que actua criticamente sobre a realidade de uma dada sociedade, que estimula a reflexão sobre tudo o que nos acontece e que potencia uma participação activa e a construção de uma verdadeira cidadania. Hoje apanhei um documentário sobre a conjuntura política portuguesa, particularizando a realidade das Jotas e dos Jotinhas**. Ficou-me no ouvido uma frase dita pelo Hugo Gonçalves:

"Um amigo uma vez disse-me que queria comprar uma casa na fronteira com Espanha para, quando Portugal for ao fundo, poder ter uma bela vista para o mar".

E, tal como o jornalista, também que parece que "já estamos com água pela cintura".


* Aconselho, também, os documentários de um senhor chamado Louis Theroux que, por vezes, passam nalguns canais do cabo.
** Deixo-vos apenas duas palavras sobre isto: assus tador.***
*** Imagino o que seria se fosse feito um exercício semelhante sobre os jotinhas dos Açores. Seria, concerteza, assus tador ao cubo.

Toda uma década com a duração do "lusco fusco"*

A Newsweek realizou um resumo da década em apenas sete minutos; muito embora aborde, unicamente, a realidade americana, está muito interessante



* "São cinco, sete minutos"...

Vá lá... Chamem-me uma menina.

Aqui há dias, naturalmente por mero acaso* (...), dei de caras com este vídeo. Se calhar esta coisa da paternidade tornou-me uma menina, emocionalmente falando, mas acho que é verdadeiramente emocionante e bonito. Sem brincadeira e sem emoções fast-food à mistura.



* Sim... eu também vejo, de quando em vez, a Oprah. Acho que se apanham testemunhos interessantes, que se consegue ter uma ideia melhor daquilo que são os EUA (além dos estereótipos e preconceitos), muito embora não simpatize puto com a senhora.

sábado, 9 de janeiro de 2010

E a questão do dia é...

... quem é que vai avaliar, e sob que parâmetros, o trabalho desenvolvido por Maria de Lurdes Rodrigues na FLAD?

E o Óscar de Carreira vai para...

...Maria de Lurdes Rodrigues *.

Amor à primeira vista?... *

"Bem...há aqui alguma coisa estranha..."

"Não tem bigodes, não tem pêlo e tem uma cabeça esquisita... não é um gato... não é um cão...de certezinha!"
"É uma coisa pequenina, que dorme muito... e que não me está a ligar nenhuma..."
"Alô... eu sou a Siena! HEY!!! Chiça... tem um sono mais pesado que o meu... o que não é fácil... pelo menos não ressona, coisa que a mim me acontece por vezes..."

"Ah! É a isto que chamam bébé! Esquisito, mas até que é giro... E, não percebo porquê, já estou a gostar dela. Tenho que ir ver isto... Estou a ficar sentimental como um cão! Não pode ser coisa boa..."

* Esperemos que sim...

"Chiça?! Tu és só da Académica?!... "

Ao longo da minha história de vida, sempre me irritou * um determinado emparelhamento automático de questões... É que a minha resposta à questão "Qual é o teu clube?" tem levado, inapelavelmente, à questão "bónus" "Sim, está bem... Mas dos clubes a sério, de qual és?"... Nunca percebi porque é que é estranho que goste de um clube que não ganha nada há perto de 71 anos **, que goste de um clube singular, pleno de valores e que tem uma relação umbilical com a cidade que amo. Sempre me irritou que não se perceba que a verdadeira vivência do desporto tem uma forte dimensão irracional que, quando substituída por um certo calculismo instigado nalgumas opções, prostitui a real componente emocional do desporto a uma obtenção regular, quiçá sensaborona, de pequenos prazeres imediatos com as vitórias de uma coisa qualquer que nos permite obtê-las. Sempre me irritou que os miúdos sejam tão condicionados nas identificações que realizam (quase obrigatoriamente com uma de três camisolas) e que a aprendizagem que deviam fazer dos valores inerentes ao desporto sejam tão precocemente pervertida... O que me remete para o contentamento que senti quando descobri um jogo de matraquilhos em que consta um conjunto de onze bonecos de chumbo trajados de negro... Lindo!


* Quase tanto quando as pessoas utilizam a expressão "és do Académica"...
** Normalmente a terceira pergunta é "como é que és de um clube que não ganha nada?!"...

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

"Com tantas guerras que travei..."



Inquietação

A contas com o bem que tu me fazes
A contas com o mal por que passei
Com tantas guerras que travei
Já não sei fazer as pazes *

São flores aos milhões entre ruínas
Meu peito feito campo de batalha
Cada alvorada que me ensinas
Oiro em pó que o vento espalha

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Ensinas-me fazer tantas perguntas
Na volta das respostas que eu trazia
Quantas promessas eu faria
Se as cumprisse todas juntas

Não largues esta mão no torvelinho
Pois falta sempre pouco para chegar
Eu não meti o barco ao mar
Pra ficar pelo caminho

Cá dentro inqueitação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda



Cá dentro inqueitação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Mas sei
É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer
Qualquer coisa que eu devia resolver
Porquê, não sei
Mas sei
Que essa coisa é que é linda

* Esta quadra tem feito muito sentido...