sábado, 9 de janeiro de 2010

"Chiça?! Tu és só da Académica?!... "

Ao longo da minha história de vida, sempre me irritou * um determinado emparelhamento automático de questões... É que a minha resposta à questão "Qual é o teu clube?" tem levado, inapelavelmente, à questão "bónus" "Sim, está bem... Mas dos clubes a sério, de qual és?"... Nunca percebi porque é que é estranho que goste de um clube que não ganha nada há perto de 71 anos **, que goste de um clube singular, pleno de valores e que tem uma relação umbilical com a cidade que amo. Sempre me irritou que não se perceba que a verdadeira vivência do desporto tem uma forte dimensão irracional que, quando substituída por um certo calculismo instigado nalgumas opções, prostitui a real componente emocional do desporto a uma obtenção regular, quiçá sensaborona, de pequenos prazeres imediatos com as vitórias de uma coisa qualquer que nos permite obtê-las. Sempre me irritou que os miúdos sejam tão condicionados nas identificações que realizam (quase obrigatoriamente com uma de três camisolas) e que a aprendizagem que deviam fazer dos valores inerentes ao desporto sejam tão precocemente pervertida... O que me remete para o contentamento que senti quando descobri um jogo de matraquilhos em que consta um conjunto de onze bonecos de chumbo trajados de negro... Lindo!


* Quase tanto quando as pessoas utilizam a expressão "és do Académica"...
** Normalmente a terceira pergunta é "como é que és de um clube que não ganha nada?!"...

Sem comentários: