domingo, 13 de março de 2011

"Gerações à rasca"

Com a devida vénia ao autor, Manuel Poppe, aqui fica uma interessante reflexão sobre o pós 12 de Março...




Gerações à Rasca


Havia a juventude e os outros.


Porque todos estamos à rasca.


Pertencemos a uma sociedade que não nos reconhece.


Ou nos vê de duas maneiras:


é desnecessária a nossa existência,


somos úteis enquanto escravos.


O governo vai apresentar novas medidas de austeridade.


Não terá informado o Presidente da República.


Institucionalmente, talvez tenha sido um erro


E digo “talvez” porque não sei.


Eticamente, fez bem.


Cavaco é um dos maiores responsáveis pelo desastre que vivemos e nem sequer é capaz de corrigir erros: é um medíocre mental.


À rasca estamos, de facto, nós todos.


E as novas medidas de austeridade não resolverão nada.


Empobrecem quem já é pobre.


O défice é do governo para com o cidadão.


Não é do país.


A dívida é o roubo da banca ao cidadão.


A culpa dos governos é governarem os interesses da banca.


Equilibrarão o défice... à custa do cidadão...


Daqui a um ano, em dívida, voltarão a pedir o osso ao frango.


O frango, que é o cidadão, ao qual já lhe comeram a pele, a carne
e lhe chupam os ossos, à procura do tutano.

É o sistema, o neo-capitalista sistema que tem de se repudiar: ou seja "pega lá dinheiro que já te peço o triplo".

Ou morremos todos de fome –e os vampiros connosco, secado o nosso sangue. 


É a única saída.


E depende de ti, amigo.

Sem comentários: