segunda-feira, 4 de julho de 2011

Contracepção política...

Portugal, a par de outros posicionamentos cimeiros nalguns rankings pouco invejáveis, apresenta uma elevada taxa de gravidez indesejada... Muitas pessoas vêem-se a braços com as dificuldades resultantes destas gravidezes indesejadas, facilmente evitáveis com a utilização de contraceptivos adequados, uma vez que algumas práticas, como o coito interrompido, se revelam péssimos factores preventivos da gravidez e de algumas doenças sexualmente transmissíveis.

A boa notícia para Pedro Passos Coelho, depois deste coito interrompido político com Fernando Nobre que lhe deixou um problema sério para resolver, é que "engravidou", politicamente falando, mas não ficou acometido de nenhum problema de saúde.

Esperem lá... as dores na consciência contam?!

4 comentários:

André Benjamim disse...

Político que se preze não tem dor de consciência. Dor de cotovelo, isso sim, quase todos têm: fica aliviada quando estão no Poder. Mas invejam sempre mais...

psilipe disse...

O poder corrompe...

André Benjamim disse...

Quero ser corrompido!!!

psilipe disse...

É corrompido quem pode... não quem quer! ;)