segunda-feira, 4 de julho de 2011

Nobre...

... só mesmo de nome.

Aquilo que aprendemos hoje, com a renúncia da ex-futura-Segunda-Figura-do-Estado-sempre-em-nome-dos-valores-da-Cidadania, é que se não doarmos valores à AMI numa próxima campanha de recolha de fundos, Fernando Nobre, provavelmente, afastar-se-á da organização. Parece que é o que faz quando as coisas não são proporcionais ao seu narcisismo desenfreado. Que, admita-se, andou bem camuflado...

Nobre ofende a democracia, conspurca o Parlamento, estraga a vida a verdadeiros independentes interessados em sublimar os sortilégios negativos da vida pública, reforça a crença popular de desconfiança face à vida política e, como se não bastasse, fá-lo numa altura em que aquilo que mais se exige é um esforço incomensurável e obrigatório de dignificação da vida pública. Pelo caminho, armadilha o terreno a quem o convidou, sendo este último ponto aquele que menos me faz pensar, naturalmente.

Tudo em nome da Cidadania... Será Cidadania um apelido de família do senhor, nunca antes revelado?...



PS: o slogan e novo logótipo da AMI, inventado aqui nas GV, nunca fez tanto sentido.

PS1: não invejo a sorte dos próximos refugiados num qualquer recanto do mundo que não agradeçam devidamente a operação milagrosa do Doutor Nobre... Antes a morte, que tal sorte!

3 comentários:

André Benjamim disse...

Dos mortos* só se deve dizer o bem! Ele era tão bom, mas tão bom, que Ai meu Deus!...

*mortos politicamente falando

psilipe disse...

Não uses essa expressão... O homem, como se tem em tal grande conta, ainda usa os seus dotes clínicos e ressuscita-se. Antes a morte, que tal sorte!

psilipe disse...

No entanto, vais ver que, quando for necessário pedinchar para a AMI, a alergia aos políticos irá passar num instante...