quinta-feira, 27 de outubro de 2011

As fofinhas poltronas do quotidiano...

E o que custa, para uns quantos seres humanos, passar a repousar os seus digníssimos traseiros em assentos mais desconfortáveis? E quando as fofinhas poltronas estão, estrategicamente, colocadas de forma a que se consiga estar entre os pingos de chuva, mesmo nas alturas de tempestade?

Competência a valorizar, num exercício de inteligência social?... Característica a lamentar, pela forma como conduz a uma vitória triunfal do individualismo sobre a partilha e comunhão?... Aceitam-se achegas para que psilipe possa configurar o seu GPS interior. Que bem precisa.

1 comentário:

Deka disse...

Andas meio perdido, né? Tenho notado.
Existem rabos que só se contentam com poltronas fofinhas, mesmo se ao lado estão todos em 'sofás de pregos'. Mesmo se isso custa a paz social.
E comunhão e partilha, Psilipe, são prazeres desconhecidos para os donos destes rabos. Não chegam lá.