terça-feira, 4 de outubro de 2011

A propósito dos concursos públicos...

Aqueles que têm a sorte, ou o azar, de partilhar os tempos mais recentes da vida de psilipe têm tido noção das suas aventuras no mundo dos concursos públicos...

Existe uma música dos Mão Morta onde consta a seguinte frase "a frescura das maçãs matinais encerra segredos insondáveis" (ou algo do género); psilipe tem percebido que, tal como as maçãs matinais, os concursos públicos encerram, também, mistérios insondáveis, em que a incompetência de alguns, se cruza com o desespero de outros e com uma suposta inexpugnabilidade dos concursos ao "jeitinho" e ao tão famigerado factor "C", numa equação, aparentemente, irresolúvel.

E em que as vidas de tantos e tantas se mantêm num inexplicável estado de suspensão e em que, por outro lado, os próprios organismos, que carecem de recursos e de melhorias no seu funcionamento, ficam reféns do seu próprio funcionamento caótico.

Sem comentários: