sábado, 29 de outubro de 2011

Terceira: a Ilha do Ovo Cósmico - take 5

Aqueles que têm a triste sorte, ou que cumprem uma qualquer penitência, de acompanhar o meu pasquim informático há algum tempo, recordar-se-ão da saga de Fernanda Durão e da sua convicção inabalável de que a Terceira seria, na verdade, um território lendário para os Antigos Egípcios (a ilha do Ovo Cósmico), que a teriam ocupado muito tempo antes da chegada dos descobridores portugueses. Para tal, e usando ferramentas cientificamente inquestionáveis (o Google Earth, um livro sobre o Antigo Egipto e um quarto de hora...), congregou uma série de provas inabaláveis, na sua visão... Tais factos foram, na altura, descritos aqui, num dos posts emblemáticos do Geometrias Variáveis.

A dada altura, tendo conhecimento de miúdos e toxicodependentes aliciados por uma senhora de Lisboa para trabalharem numa gruta, percebi que alguém tinha passado à acção e iniciado a busca de uma pirâmide egípcia soterrada, numa das freguesias da Ilha Terceira. Quem seria?...

Hoje, na primeira página do Diário Insular (periódico terceirense) percebe-se que Fernanda Durão continua o seu labor, numa iniciativa que, pela forma ilegal e pouco cuidada como está a ser realizada, coloca em risco as vidas dos arqueólogos instantâneos que nela trabalham...


É só a mim que me ocorrem as palavras "internamento compulsivo"?...

2 comentários:

Guilhim disse...

Man, isto é muito bom!! Mas deve ser dos ares (pré-históricos) da sociedade geográfica (http://ver-de-agua.blogspot.com/2009/02/ao-lado-mesmo-muito-ao-lado.html)... que vai na volta, está mas é a aproveitar os incentivos do governo para criar o próprio negócio...

Espera mais um tempinho até sugerires à séria o internamento para a malta se rir mais um bocadinho!

psilipe disse...

Pois... a ideia que passa é mesmo de um empreendedorismo a suportar pelo erário público. O que assusta neste caso específico é a insistência a senhora na procura de credibilização da sua ilusão. Claro que ainda corro o risco de ir passear a miúda e dar de caras um Ramsés terceirense... mas, digamos, que tal é pouco provável... ;)