quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Uma via verde para a catarse...


Corriam os loucos anos nineties e, eis senão quando, psilipe, nas suas deambulações interiores da aborrecência (termo excelente aprendido com a querida R.), descobriu este álbum, Só, do Jorge Palma. E, desde aí, sem que, hoje, perceba muito bem porquê, esta música continua a ter um papel absolutamente catártico... Dois versos que gosto particularmente:

Fiz a cama na encruzilhada,
e chamei casa a esse lugar...

Sem comentários: