quarta-feira, 16 de novembro de 2011

All together now... nos nossos ouvidos.

Há que reconhecer que a campanha de publicidade da Optimus está bem conseguida, possuindo potencial para revitalizar a marca (eterna subalterna da TMN e Vodafone). E o reflexo disso é que esta música não sai da cabeça de muita gente (basta aceder a uma qualquer rede social)...

Aqui fica o original da coisa, retirado do "Yellow Submarine", filme com os Beatles... Mal, por mal dá para conhecer o original do tirano que vos atormenta.


3 comentários:

Rafeira disse...

All together now... ;)

Helford disse...

Este tema foi gravado em 1968, e lançado, originalmente, em Janeiro de 1969, na banda sonora do filme animado "Yellow Submarine". Apesar do período de grande criatividade em que se encontravam (pouco antes, no Outono de 1968, havia sido lançado o famoso duplo "White Album"), o clima no interior dos Beatles já conhecera melhores dias...
O tom animado e positivo desta canção tentava ser uma espécie de mais uma de várias "transfusões de sangue" que permitiriam manter a banda viva até 1970.
O principal autor da canção, apesar da sigla oficial "Lennon/McCartney", foi Paul McCartney que, nesta altura, tentava assumir uma posição de maior liderança quanto à gestão dos Beatles e de tudo o que com eles estivesse relacionado (a editora "Apple", por exemplo).
Um pequeno pormenor na parte final da canção original "All Together Now", era um som meio roufenho e engraçado de uma gaita tocada de uma forma inicialmente desorganizada, mas a que depois cabem as honras de encerrar o tema. Tenho toda a certeza que era o John Lennon a brindar-nos com um pouco do seu lado de artista cómico e ousado, como foi possível observar, éntre outras situações, nos filmes que a banda havia anteriormente gravado.
Nos últimos anúncios da OPTIMUS, eu pude, mais uma vez, verificar que não há nada como o ORIGINAL, em termos de qualidade... Acho que a canção "All Together Now" está a ser cruelmente "espremida" de todas as formas possíveis. Ainda perde o seu encanto original... Por entre os NABOS anónimos que aparecem nos anúncios, tenho visto diversos/as potenciais tocadores/as de, quando muito, GAITA, que nunca chegarão aos calcanhares do Lennon, mesmo quando este improvisava despreocupadamente.
Aliás, quando vi o anúncio pela primeira vez, com toda aquela coreografia saltitante, pensei: "Bolas! Então ninguém toca, ao menos, uma gaita como se ouve no final da canção?!?" Contudo, logo a seguir, percebi que muitos daqueles tipos e tipas têm uma VOZ que substitui na perfeição a tal GAITA ROUFENHA!!! Vou mais longe: são muito mais roufenhos e "cana-rachada" do que a tal mítica GAITA!!!

psilipe disse...

Caro Helford, concordo com o que refere. Apesar de interessante do ponto de vista do marketeer e da marca, a campanha é musicalmente obtusa... O original é bem mais interessante e o videoclip é bem giro. Caso não saiba, e mesmo tornando a coisa mais irritante, a utilização da música na publicidade nem sequer é original, uma vez que já havia sido utilizada pela Budweiser num anúncio. É caso para dizer, que gaita! Aceite cumprimentos.