segunda-feira, 23 de julho de 2012


"Conheces a natureza e a origem do Amor e és o primeiro a reconhecer
que ele é o amor pelas coisas belas. Mas...e se nos perguntassem: «Por
que razão, Sócrates e Diotima, é Amor o amor pelas coisas belas?» Ou,
para falar com maior clareza: «Ao amar coisas belas, que amamos nós?»
-Respondi «o possuí-las».
-Essa resposta-disse ela-suscita outra pergunta, que é a que se segue:
«O que terá aquele que possui coisas belas?»
Respondi que, do pé para a mão, não lhe poderia responder a uma coisa daquelas.
-E se, por exemplo-disse ela-trocando o termo «belo» por «bom» te
perguntassem: «Vá lá Sócrates, ao amarmos as coisas boas , que amamos
nós?»
-O possuí-las-respondi.
-E o que alcança quem possui coisas boas?
-A resposta a essa pergunta-disse eu-já é mais fácil: a felicidade.
-É, com efeito-disse ela-, na posse das coisas boas que reside a felicidade..."

Sem comentários: