quinta-feira, 14 de março de 2013

Tempestades e bonanças...

Há palavras que entram no léxico quotidiano e que, num ápice, começam a surgir nas conversas, nas argumentações ou, simplesmente, nos floreados de quem procura legitimar-se pelo mero adorno do discurso. São usadas, até vulgarizadas, mesmo quando os seus utilizadores não compreendem o seu real significado e amplitude.

Uma dessas palavras é resiliência. Há uns anos, tal palavra era pronunciada em círculos muito restritos. Hoje, muito por influência da sua utilização no discurso psicológico, banalizou-se.

Ainda esta palavra não tinha sido inventada, já os açorianos lhe davam significado.

Quando ninguém a tinha alguma vez pronunciado, já os açorianos suplantavam os elementos, aceitando a sua magnitude, sem, contudo, se resignarem a ela.

As últimas horas demonstraram, mais uma vez, que a resiliência encontra outro significado nos homens e mulheres açorianos. Que encontra, porventura, o seu real significado neste povo ilhéu, ao qual muito me orgulha pertencer.

Amanhã é um novo dia. Até amanhã, Açores.

Sem comentários: