terça-feira, 10 de setembro de 2013

Percebemos que crescemos, e que algo mudou, quando...

... passamos por uma multidão de recém-universitários, nas filas para as matrículas da Universidade de Coimbra, e nos colocamos, um raciocínio empático, no lugar dos seus pais, que aguardam nos carros e nos muros das imediações, e não dos imberbes petizes à beira de mais uma transição na sua vida.

Quando nos colocamos no lado do nervosismo dos pais e não da excitação dos petizes.

Sim... as nossas transições de vida também se fazem, com algumas pseudo-praxes pelo caminho.

Sem comentários: