quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Está aqui tudo...

"Não pode haver razão para tanto sofrimento. 

E se inventássemos o mar de volta, e se inventássemos partir, para regressar. 

Partir e aí nessa viagem ressuscitar da morte às arrecuas que me deste. 

Partida para ganhar, partida de acordar, abrir os olhos, numa ânsia colectiva de tudo fecundar, terra, mar, mãe... 

Lembrar como o mar nos ensinava a sonhar alto, lembrar nota a nota o canto das sereias, lembrar o depois do adeus, e o frágil e ingénuo cravo da Rua do Arsenal, lembrar cada lágrima, cada abraço, cada morte, cada traição, partir aqui com a ciência toda do passado, partir, aqui, para ficar..."

José Mário Branco (um génio) em "FMI".

Como diria uma pessoa que conheci recentemente, e a quem apresentei esta música, "é assustador como esta música tem mais de 30 anos". A H. V. tem, mesmo, toda a razão.

Sem comentários: