domingo, 29 de dezembro de 2013

Passatempo GV: Um ensinamento grátis para o 2014!

Corria o ano de 1960 quando um senhor brasileiro, de nome Torres Pastorino, escreveu "Minutos de Sabedoria", onde congrega um conjunto alargado de pensamentos e ensinamentos proferidos na Rádio Copacabana, num livro que, como diz o autor, "não é para ser lido a jato".


No entanto, em mais uma manifestação de serviço público, será a jacto que psilipe vos proporcionará um ensinamento para 2014, através da obra do senhor Pastorino.

O que fazer para aceder ao pensamento que mudará o vosso 2014?

Simples. Basta indicar um número na caixa de comentários entre 1 e 287, as páginas do livro, e garanto que lá estará a frase que fará a diferença, que será colocada no mesmo local.

Agradecei, depois, ao senhor Pastorino.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - XXXVI

Que as meninas, quando querem transformar-se em senhoras, podem socorrer-se de diversos estratagemas.

Que um deles passa por utilizar as pinturas das bonecas e colorir a face, como fazem as mães.

Que, para tal, se utilizam "maquinagens".

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Orgulho

"Um óptimo Natal para o Psilipe e a sua família! Hoje é o dia especial deles.

Porque nos outros dias, Psilipe também se dedica a tornar as pessoas de outras famílias mais felizes e brilhantes...

Um muito obrigada!"

Eu é que agradeço, R..

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Um bom livro / uma boa prenda de Natal / um grande escritor


Testemos, em conjunto, os limites do humor e da ironia

Houve, hoje, um trágico naufrágio que desgraçou a vida a uma série de famílias nesta quadra natalícia.

O naufrágio aconteceu nas imediações da praia do CDS.

A mimetização da realidade numa trágica ironia.

domingo, 22 de dezembro de 2013

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - XXXV

Que até os problemas aparentemente irresolúveis podem ter solução.

Que os constrangimentos das opções de vida não superam a solidez daquilo que conta.

Que, reconheça-se, temos uma garota impecável.


Viagem de carro da casa de uns avós para casa da outra avó.

Mariana: "As pessoas que estão longe estão nosso coração... Não há problema estarmos longe porque elas estão, sempre, no nosso coração."

Pais sortudos de Mariana: "Muito bem..."

Mariana: "No nosso coração cabem todas as pessoas que gostamos..."

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Tiririri... tiririri...

Há poucas coisas mais irritantes no mundo do que o som que a Bimby faz quando acaba de cozinhar ou lá o que é que ela faz.

No momento, não me lembro de nenhuma.

Para quando uma Bimby com opção de escolha de sons, como acontece com os telemóveis.

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - XXXIV

Que a aprendizagem da frustração se faz nas mais pequenas coisas.

Que os nossos sonhos são bem mais difíceis de atingir do que nós gostaríamos.

Que um abraço de família é sempre um bom remédio.


Princesa Mariana irrompe pela sala, em lágrimas, depois de estar deitada há uns dez minutos...

Mariana: "Estou muito triste..."

Pais da Mariana, em sobressalto com a tristeza do seu rebento: "O que se passou, Mariana?!"

Mariana: "Não consigo ter o sonho que queria (lágrimas)... vou ter sonhos que não quero..."

(Abraço de família)

Mariana: "Posso dar-vos beijinhos?"

Claro que sim. Sempre.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A Central B...

Todo o nosso percurso de vida é feito de lugares. Lugares que marcam, onde aprendemos, onde sentimos, onde partilhamos, onde nos fazemos.

A casa, os locais de família ou a escola são exemplos de lugares que, de forma indelével, deixaram marca na matriz de cada um de nós.

No meu caso, e quiçá de alguns que tenham a distinta pachorra de ler estes meus devaneios, a Central B, do antigo Calhabé, é um desses lugares.

Lugar de aprendizagem daquilo que significa a Académica, de partilha de momentos únicos, de comunhão com quem me ensinou a ser da Briosa, de compreensão do amor a um clube e a uma Causa. Lugar de salutar convívio e de convulsão emocional a reboque da irracionalidade de quem ama.

Esta Segunda-Feira, muitos anos depois, pude regressar a este lugar, em pleno peão do Estádio do Bonfim.

Mau grado a derrota, ficou, para mim, uma bela jornada académica, a qual agradeço a muitos dos que passam pelo blogue Simplesmente Briosa e que, estoicamente, marcaram presença. As boleias para Setúbal, pela reserva de bilhete, pela conversa, pelos risos, pela partilha de algo comum e único.

Há, mesmo, lugares onde queremos regressar. A minha Central B é, definitivamente, um deles. Haverá outras oportunidades, com certeza…

Fica a pena de o “Tito” Costa Santos (simpático académico, um jovem apesar da sua avançada idade) não ter colocado a sua pulseira da sorte logo no início… Aí tinha sido uma cabazada, com direito a hat-trick do Marcos Paulo.

Com os dedos dos pés bem mais quentes, deixo um abraço a todos os que lá estiveram!

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - XXXIII

Que é perfeitamente possível simular ensaios nucleares, um motim num qualquer estabelecimento prisional e/ou catástrofes naturais de dimensão considerável no conforto do nosso lar.

Para tal, basta que haja uma Princesa que, fazendo quatro anos, queira festejar com os amigos.


Durante o cataclismo.



Depois das operações de paz e limpeza.


domingo, 1 de dezembro de 2013

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - XXXII

Mais uma vez, que a aculturação não conhece limites.

Que, isso, é bem giro.


Mariana: "Papá! Não é essa..."

Papá: "Qual é?"

Mariana: "É aquela! A mais pechinchinha..."

O "Perfect Day" da Académica

Algum tempo depois, a Briosa, como senhora romântica que se preze, faz a justa homenagem a Lou Reed, recentemente falecido, mesmo interpretando um dos seus mais conhecidos hinos “a Capela”.

Foi um “Perfect Day”… Há muito mérito na vitória de ontem, ao contrário dos papagaios paineleiros que só atendem ao demérito do adversário, em mais uma demonstração de estreiteza mental.

Ganhar contra tudo e contra todos tem, ainda, mais sabor, e torna o dia ainda mais perfeito.

Sérgio Conceição, e toda a equipa, esteve muito bem. Reconheça-se a exibição globalmente muito positiva, com uma clara subida de rendimento de unidades, até agora, em claro sub-aproveitamento (Marcelo ou Abdi, por exemplo).

Ricardo, Fernando Alexandre, Makelelé, os dois centrais e mesmo o esforçado Magique com nota alta. Um gosto.

Dou a mão à palmatória por Djavan. Boa exibição, com uma consistência defensiva até agora inexistente. Uma boa surpresa, a milhas do jogador nervoso e trémulo do jogo com o Sporting. Está-se a fazer um bom jogador, para minha surpresa.

Pouca gente. Poucas testemunhas para o “Perfect Day”. Dá que pensar e dá que penar, também.

Por fim, duas palavras sobre a selecção.

Fernando merece ir ao Mundial. Um jogador em crescendo, um dos melhores na sua posição no nosso Campeonato que, há várias épocas, demonstra qualidade. Fernando Alexandre, claro.

Ricardo é um senhor. Não só na baliza. Cada entrevista é um sinal de maturidade e ponderação. Cada jogo um tiro certeiro na incoerência e na obtusidade de Paulo Bento. Um orgulho vê-lo com a nossa camisola. um exemplo que merece figurar na galeria dos heróis da camisola negra. Afinal, ainda há heróis. Afinal, a Académica ainda produz heróis.

Obrigado, Ricardo, por isso.