quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - XLIII

Que existem coisas finitas e outras infinitas.

Que o rol de desculpas que a princesa encontra para regressar à sala do seu castelo, depois de ter ido dormir, faz parte das segundas.

Que a imaginação, antes de dormir, fica bastante mais activa e prolífica.

Que é possível fazer um top para as razões que, por mais vezes, foram apresentadas pela princesa para justificar as suas viagens quarto - sala, e que incluem:

- tenho xixi;

- tenho cocó;

- tenho fome;

- quero dar mais um beijinho, entre outras.

Que nada tinha superado, até hoje, a razão apresentada hoje.

Princesa aparece na sala ostentando uma tampa de um perfume (cheirinho em marianês), arredondada, na ponta do polegar esquerdo, com um ar semelhante àquele que Arquimedes terá ostentado quando proferiu o seu famoso "eureka"...

"Papá! Mamã! Esta tampa parece a coisa de um astronauta... vim cá para vos dizer isto!"

Amanhã há mais.

Sem comentários: