sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Desaparecido da/na Ilha Terceira

Desapareceu, da Ilha Terceira, há várias semanas. 

Tem quatro biliões e meio de anos, ainda que aparente ter menos idade.

Quando desapareceu trajava de amarelo, com tons de dourado, emanando brilho das suas vestes.

Já foi visto, episodicamente, na Terceira, nos últimos tempos, pelo que se acredita que não terá abandonado, de vez, a Ilha. Há, assim, esperança que possa ser encontrado e trazido, de novo, ao convívio daqueles que lhe são queridos.

Aproximadamente cinquenta e cinco mil pessoas aguardam notícias, desejosas do seu aparecimento.

É portador de doença psiquiátrica, padecendo de Perturbação Bipolar, alternando, de forma inexplicável, períodos de brilho intenso com longos períodos de ausência e de evitamento social, desaparecendo do convívio de todas as pessoas, mesmo das mais familiares. 

Quaisquer notícias sobre o seu paradeiro deverão ser comunicadas às autoridades competentes ou a qualquer terceirense interessado.

Chama-se Sol. Responde, igualmente, por solis, para os amantes da cultura latina.

Angra do Heroísmo, 22 de Janeiro de 2016






1 comentário:

Anónimo disse...

Ainda há não muito tempo o Solis passou por aqui brilhante e invencível (como é seu apanágio). Diz que anda à procura de uma gema qualquer. Pediu-me segredo, porque diz que muitos a procuram já há milhares de anos, mas muito poucos a avistam (não digas que te contei!). Ele acha que talvez a possa encontrar em locais escuros e silenciosos, porque é mais fácil de se focar no seu brilho. Sabes, pareceu-me estar muito lúcido... Achas mesmo que é bipolar?