O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - LXXXV

Que a época natalícia é pródiga na lembrança de (boas) memórias de Natais passados em família.

Que as avós e os avôs são peritos atentos na arte de (des)encaminhar petizes e que conhecem como ninguém as portas travessas da parentalidade.

Que o Menino Jesus, na casa da avó D., se chamará sempre Jesus.

Que é uma fortuna poder passar mais um Natal com a minha família e que a Mariana tem uma colecção de avós, bisavós, tios e primas de qualidade superior.

Que quem não está continua, contudo, a fazer falta. Que, mesmo não estando, tem lugar algures na mesa imaginária, onde o machado não corta nem o pensamento, nem o amor.

O Pai da Mariana teve uma carreira religiosa curta e deixou a prática religiosa após a Primeira Comunhão, para grande tristeza da senhora sua mãe. Foi para a catequese, aquilo que um jogador chamado Porfírio foi para o futebol ou Rick Astley para a música. Uma eterna esperança.

Num dos primeiros Natais que a Princesa já arranhava umas palavras, alguém, que não pode ser identificado por questões de segurança, ter-lhe-á ensinado que o menino que ora estava deitado, ora estava estendido nas palhas do presépio, se chamada "Menino Toninho". Face a tal, sempre que a Princesa via um presépio dizia, a plenos pulmões, que estava ali o Toninho.

Chegados a Coimbra, para a saborosa passagem da quadra natalícia, eis que a Mariana entra na casa da avó D., vê a sua colecção de presépios...

Mariana - Olha tantos Meninos Toninhos!
Avó D. - Menino quê?!

Mais rápida do que o Dr. House, a Avó D. diagnosticou o autor do ensinamento da Princesa, a quem dirigiu um olhar reprovador daqueles que as avós conseguem fazer, enquanto congeminam a resposta. Sim. Uma avó a sério nunca deixa alguém sem resposta.

Passou um dia e eis que a história de hoje chega ao fim.

Estava o autor destas linhas a chegar, discretamente, perto de uma certa colecção de presépios de uma certa avó, de uma certa Princesa....

Avó D. (com a princesa no seu colo, enquanto apontava para os diferentes presépios) - Mariana, menino Jesus, ouviste? Menino Jesus! Não é Toninho...

Avós 1 - Resto do Mundo 0

Já agora, um bom Natal a todos que por aqui passam. Que seja uma quadra feliz e que festejemos o nascimento de Menino. Jesus ou Toninho, consoante a atenção das avós.

Comentários

Mais lidos

Mais um lugar esquecido: uma universidade esquecida

Os sanatórios do Caramulo nos dias de hoje...

Grande Sanatório e Pavilhão de Cirurgia - Caramulo

Lugares esquecidos: Central Hidroeléctrica da Companhia do Papel do Prado (Casal do Ermio)

Um hospital moribundo na Cidade Património

XXVIII Meia Maratona dos Bravos: Missão comprida ou cumprida?

A fuga dos conquistadores do Jamor...

Inspiração para uma vida feliz

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - LXXXIX