O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - LXXXVIII***

Que a Princesa está a trilhar muito bem os caminhos da educação emocional.

Que, para ela, ao contrário de muitos adultos, as emoções fazem todas falta.

Que, para ela, ao contrário de muitos adultos, não há emoções boas e emoções más, ainda que algumas sejam mais agradáveis do que outras, à primeira vista.

Que a Princesa já percebe que as emoções são todas equipamento de série e não uma espécie de tuning que podemos, ou não, colocar.

Que, como já se foi percebendo, tem bom gosto e rejeita alterações desnecessárias àquilo que é fundamental.


Que um Fiat Uno deve ser facilmente reconhecível como um Fiat Uno. Como aquele que tinha a tia A. S.* tinha e que voava por Lisboa. Vá, andava.

A Princesa acompanhou o seu pai a uma viagem à aldeia da sua avó materna.

Vários reencontros saborosos com família e amigos, da mocidade deste vosso escriba, uma visita à casa da aldeia (para "trazer brinquedos do pai") e uma passagem pelo local onde o avô paterno tem a última morada**.

Aquele misto de emoções para o pai da Mariana.

Viagem de carro de volta para a mais bela cidade do mundo, depois de uma aventura na apanha de fruta do nosso pomar, nas imediações da árvore da vida.

Pai da Mariana - Como é que sentiste no cemitério?

Mariana - Foi estranho e confuso. E tu ficaste triste?

Pai da Mariana - Sim. É natural, compreendes?

Mariana - Sim.

Pai da Mariana - Achas que era possível viver sem tristeza?

Mariana - Não. Não seria bom.

Pai da Mariana - Porquê?

Mariana - Porque a tristeza faz falta.

Pai da Mariana - Para quê?

Mariana - Para pensarmos sobre os nossos erros, por exemplo.

Pai da Mariana - Sabias que há adultos que preferiam viver sem a tristeza?

Mariana - A sério? Que burros.


* Ainda que esse tivesse um acessório extra... uma cana, à medida, para segurar a tampa da mala.

** Onde os dois passaram, pelo menos durante algum tempo, a partilhar um segredo de um gesto pleno de significado de que foram co-autores.

*** A caminho dos 100. Aceitam-se encomendas do livro. (kidding)

Comentários

Mais lidos

Mais um lugar esquecido: uma universidade esquecida

Os sanatórios do Caramulo nos dias de hoje...

Grande Sanatório e Pavilhão de Cirurgia - Caramulo

Lugares esquecidos: Central Hidroeléctrica da Companhia do Papel do Prado (Casal do Ermio)

Um hospital moribundo na Cidade Património

XXVIII Meia Maratona dos Bravos: Missão comprida ou cumprida?

A fuga dos conquistadores do Jamor...

Inspiração para uma vida feliz

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - LXXXIX