O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - XCVI*

Que a boa educação se aprende em casa.

Que, já agora, o bom gosto também se deve aprender por lá.

Que há heranças que não são convertíveis em valores mensuráveis em cifrões.

Que há clubes. E depois há a Académica. 

Que se está a conseguir ensinar aquilo que se aprendeu. 

Férias significa, sem excepção, regressar a Coimbra. Uma fuga para casa vindos de casa, numa dualidade típica de quem vive entre locais onde se sente bem. De quem tem a fortuna de, como os adolescentes, poder fugir de casa para, rapidamente, voltar a casa. 

Em Coimbra, há uma feliz via sacra, aquelas coisas que nunca falham, na impossibilidade de fazer tudo o que queremos e de conseguir manter o contacto com toda a gente. Há locais e hábitos que não falhamos. O jantar com os amigos de sempre, as estadias nas nossas casas, a ida a Cantanhede ver aqueles que resistem ao tempo,...

Passar pelo estádio da Académica é uma das estações desta via sacra que não costuma faltar. Pelas quotas de sócios que há para pagar, pelos bilhetes para os jogos, pela vontade de comprar merchandising para casa ou pelos pedidos que amigos fazem de coisas para levar para os Açores**.

Desta vez a ida foi em família, coincidindo com um passeio pela cidade com uma das primas da Mariana, a L..

Enquanto se tratava dos pormenores do pagamento dos três sócios lá de casa e se compravam bilhetes para o próximo jogo para toda a família, a Princesa afastou-se com a sua mãe.

Depois de ficar enamorada por uma mochila, a sua mãe achou-a estranhamente parada, vislumbrando algo.

Mãe da Mariana - O que foi, Mariana?

Mariana - Que lindo...

Mãe da Mariana (enquanto olhava em volta, procurando na loja aquilo que estaria a polarizar a atenção da Princesa) - O que é que é lindo, Mariana? Onde está?

Mariana (enquanto apontava para a parede em frente) - Aquela parede!

  

Mãe da Mariana - Queres tirar uma foto?

Mariana - Sim.


Sábado, cumpre-se mais uma etapa da sua entronização. O primeiro jogo, ao vivo e a cores.

Aprendeu-se, aliás confirmou-se, que o seu avô e bisavô estariam orgulhosos. E isso deixa o coração negro. No melhor sentido.


* A quatro histórias das cem, limite para a compilação, presente para a Princesa ler daqui a uns anos.

** Chegará o dia em que se oficializará a Casa da Académica da Ilha Terceira...

Comentários

Mais lidos

Mais um lugar esquecido: uma universidade esquecida

Os sanatórios do Caramulo nos dias de hoje...

Grande Sanatório e Pavilhão de Cirurgia - Caramulo

Lugares esquecidos: Central Hidroeléctrica da Companhia do Papel do Prado (Casal do Ermio)

Um hospital moribundo na Cidade Património

XXVIII Meia Maratona dos Bravos: Missão comprida ou cumprida?

A fuga dos conquistadores do Jamor...

Inspiração para uma vida feliz

O que se aprendeu, hoje, com a Mariana... - LXXXIX